quarta-feira, 31 de agosto de 2011

#BlogDay

Hoje é #BlogDay, um dia dedicado aos blogs e aos blogueiros, é um dos meus dias em que pode se dizer que eu posso comemorar (além desse só costumo mesmo comemorar mesmo o Dia do Escritor, porque tem tudo a ver comigo).

No #BlogDay indica- se cinco blogs que mais gosta.Aqui está uma pequena lista dos meus favoritos:
My Little World da minha amiga Joice, que gosta de Paramore.
Nowhere Girl  da minha amiga Isabela, mesmo que ela não goste dessa frescura chamada #BlogDay, eu adoro o blog dela.
Saloão Comunal-Sonserina da minha amiga Camila, mesmo eu sendo de Grifinória, eu adoro o blog dela.
Follow the white rabit Tumblr da minha outra amiga Camila,Beatlemaníaca que nem eu e muito fã do The Who.
Juliano Pietcsch do meu amigo Juliano, que entende de aviação,Beatles,Byrds e mais um monte de coisas.

domingo, 28 de agosto de 2011

Vinicius de Morais

Já escrevi um post sobre o Tom Jobim,agora chegou a vez de Vinicius de Morais.


Vinicius ou como era chamado "Poetinha" como era chamado foi na minha opinião uma das pessoas que mais me influenciaram muito e suas músicas feitas com Tom Jobim, são simplesmente perfeitas.


Eles juntos formaram uma parceria que foi muito perfeita, e essa parceria ao meu ver, parece um Lennon/McCartney mas só que mais brasileiro.






Adoro seus poemas e seus sonetos, e o emu favorito é o do amor total.

sábado, 27 de agosto de 2011

Livros

Sempre adorei os livros, desde pequena tenho total fascinação por eles.Adoro principalmente aquele cheiro de livro novo, que acaba ficando na minha mente (tenho uns livros que acabo lembrando do cheiro, só de abri-los).Sou também a favor da leitura, pois sem ela somos pessoas com pouca cultura.

A cada livro, uma nova história, um novo mundo, uma nova informação.Esse monte de papel encardenado, pode mudar muitas vidas, a minha,talvez a sua também , pode as vezes mudar países, ou também pode mudar a história da sociedade.Na minha opinião as vezes tudo depende de que você comece a ler o livro
.
Eu sei que existem livros chatos, aqueles livros que os professores te mandam ler por causa da matéria que eles estão passando.E existe aquele livro legal,que agente adora, aquele livro que marca totalmente as nossas vidas.

E agora com essa moda de livros digitais, eu penso:"Será que os livros de papel, irão acabar?", pois existe uma infinidade de livros para download, e também para ler no tablet.Será que eles vão realmente acabar?Será não irão produzi-los mais?Espero que isso não aconteça.Eu prefiro mais os livros de papel, do que os digitais, eles trazem mais a alma do livro e do enrendo dele.

Eu tenho uma mania de ler dois livros ao mesmo tempo, que para alguns amigos é muito feia, pois dizem que eu não me concentro na história e fico perdida.Eu não fico perdida não, pelo contrário eu consigo sempre localizar em que parte parei.

E é por isso que adoro os livros.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Sobre o inverno em São Paulo


Sempre adorei o inverno, é a minha estação do ano favorita! E a estação que em minha opinião tudo em São Paulo fica mais lindo, pois o frio realça o que em minha opinião o que se tem de mais belo nessa cidade.
Eu sei que aqui em São Paulo existe muita poluição e que algumas pessoas não achem nada bonito morar nesta cidade, mas eu adoro principalmente no inverno (ou no que resta de inverno nesta cidade).
Eu não gosto muito do verão, nunca me entendi muito bem com o calor. Sempre foi estressante para eu aguentar todo esse calor e as pessoas ficam mais estressadas também nessa época do ano, e acabam sofrendo muito com esse calor todo, pois por todos esses motivos e mais alguns outros eu não gosto do verão e todo esse calor horrível que ele me traz.
Adoro a moda no inverno, que nesta estação sempre fica mais bonita e, eu sempre tenho mais disposição no inverno (muitas vezes essa disposição é de ficar em minha cama enrolada em minhas cobertas), e também quem não adora o friozinho do inverno, simplesmente o adoro.
E nesse final de inverno, nada como aproveitar os dias que o tempo estiver frio ou como ele estava hoje um pouco quente do que devia estar.

domingo, 7 de agosto de 2011

Lembranças

Nunca tive coragem de rever aquelas fotos, e me lembrar daquelas férias que tive com a Cecília.
E numa bela manhã de inverno,eu resolvi vê-las e me lembrar de como eu me apaixonei e abandonei o meu amor.
Naquelas férias,eu fui a Veneza,tentar esquecer o trabalho e coisas da vida,e amores que nunca deram certo.E quando estava andando de barco,eu a vi,Cecília,meu grande amor.Pedi para que o condutor e fui fala com ela, uma jovem,alta,morena,pálida,com cabelos bem curtos que estava fotografando o local.
-Olá – disse eu a ela,que resultou num susto para ela.
-Oi , já nos conhecemos? - perguntou ela um pouco surpresa.
-Não, mas ... posso ver suas fotos? – perguntei, estendendo minha mão para que ela pudesse me mostrar as suas fotos a mim.Ela ficou meia relutante,mas depois me mostrou com receio suas fotos.Agradeci e disse que ela já ia embora.
-Não espere,você nem me disse o seu nome! – disse ela correndo atrás de mim.
-Eu me chamo Johnny e você? –perguntei sorrindo.
-Me chamo Cecília e quantos anos você tem?Eu tenho 27.
-Tenho 30.Você gostaria de tomar um café? –perguntei sorrindo.
-Sim – ela respondeu calmamente.E tomamos café juntos,e saímos algumas vezes e depois começamos a namorar.
Começamos a curtir Veneza juntos,ela que estava pela segunda vez pela cidade,acabou me mostrando todos os seus lugares favoritos.Ela me levou a uma pedra ondes os apaixonados sempre escreviam seus nomes e algumas juras de amor eterno,e numa vontade louca de marcamos para sempre o nosso amor,marcamos juntos com outra pedra,"Johnny e Cecília para sempre",depois que fizemos isso trocamos um beijo muito apaixonado e eu disse a ela:"Você será para sempre o amor da minha vida" e ela me respondeu o mesmo.
Aqueles dias de extrema alegria,pareciam não acabar, mas um dia o fim chegou.
Disse a Cecília que precisava voltar para a Inglaterra,onde moro e tentei falar a ela para que ela passa-se alguns dias comigo, ela me disse que teria que voltar para Portugal,os motivos para nossas voltas foi de que os dois precisavam voltar a trabalhar.
Depois de um adeus cheio de lágrimas e um beijo,acabei pegando o voo de volta para a Inglaterra e pouco tempo depois, ela partiu de volta para Portugal.E depois disso trocamos alguns emails e resolvemos por conta da distância terminamos o nosso namoro.
Dois meses depois recebi um pequeno envelope de Cecília,contendo todas as nossas fotos juntos naquelas férias.Junto com as fotos tinha um pequeno bilhete dizendo:"Você será para sempre o amor da minha vida,mesmo eu me casando com outro homem.Com,amor Cecília".
Foi por este motivo que demorei para ver essas fotos.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Hermann,o espião

Mentir. Em algumas vezes parece até ser legal, mas em certas circunstancias acaba se tornando desconfortante, pois fazer isso, todos os dias para a sua mãe e para o mundo todo, acaba ficando muito monótono. Mas se era para salvar o meu pescoço no caso, tudo bem.

Ser espião não é um dos melhores empregos que um adolescente espera ter, mas as vezes é a adrenalina que conta. Desde que fui recrutado para ser espião me fizeram jurar não contar para ninguém. Desde então tive por obrigação mentir para tudo e para todos.

Uma vez estava na escola e me chamaram para uma missão até Paris, mas pela infelicidade do destino, minha mãe foi convocada pelo diretor de minha escola a comparecer nela, pois eu tinha muitas faltas, detalhe, eu não sabia de nada.

-Como, assim o Hermann anda faltando? Ele sempre vem as aulas – disse minha mãe atônita.

-Sra. Iremos chama-lo aqui para que possamos tirar as devidas satisfações – disse meu diretor com certa calma.

Enquanto eles conversavam isso, eu estava derrotando o dr. Peter von Gruskenko, um cientista tirano que sempre tenta dominar o mundo. Voltei o mais rápido que podia, de equipamento de espião e, o diretor e minha mãe flagraram-me chegando na sala.

Minha mãe viu toda aquela cena, e disse que em casa conversamos.

Ela me colocou de castigo por uma semana. Acho que não vou mentir por uns tempos.