sábado, 8 de setembro de 2012

Sweet Jardim

Senti a grama fina encostando em meus pés,eles estavam gelados,por conta do frio que estava.Mas mesmo assim eu continuava andando,para me acalmar um pouco.
A festa do chá havia começado havia algumas horas,mas eu não estava tão a fim de participar dela,não estava querendo ver todas aquelas pessoas chatas que sempre me aportunavam e que tomavam conta de minha vida,mesmo eu sendo uma pessoa viciada em chá.
-Onde está Leila? - perguntava minha mãe aos gritos - aonde será que ela foi?
Comecei a caminhar e entrei numa pequena floresta que ficava atrás de minha casa,que eu nunca havia reparado que esta existia,pois eu havia me mudado para aquela casa há 2 semanas e minha mãe me não me deixara sair de casa sem antes de desempacotar cada coisa que nós tínhamos.A cada pensamento que tinha mais meus pensamentos ficavam mais profundos,e não conseguia saber se tudo o que eu estava pensando era real ou imaginário.
Encontrei uma pedra,arrumei meu vestido azul que estava todo amaçado e sujo,por conta de todo esse caminhar, e me sentei.Acabei ficando por lá,vendo o tempo passar,observando o por-do-sol e o cantar do dos pássaros.Realmente,lá era um doce jardim.
Ouvi um o farfalhar das folhas vindo atrás de mim,e quando me virei para ver o que estava se aproximando e de lá sai um gato cinza.Peguei ele,com muito cuidado pois este estava muito assustado.
-Calma,calma - sussurrei a ele - eu não lhe farei nenhum mal - comecei a afaga-lo calmamente e aos poucos ele começara a ronronar.Olhei para o céu e vi que estava escurecendo cada vez mais,estava na hora de voltar para a festa,infelizmente.
-Leila!Leila! - gritava minha mãe loucamente - aonde você esteve todo esse tempo?E que gato é esse?
-Eu estava andando pela aquela pequena floresta que fica atrás de nossa casa e encontrei ele - respondi calmamente.Caminhei calmamente até uma mesa  vazia,me sentei numa cadeira,ainda com o gato em meus braços ,olhei para as pessoas em minha volta,todos estavam boquiabertos ou comentando o estava ocorrendo,dei os ombros e continuei a acariciar o gato.
-Você se chamará Matt - sussurrei ao gato,ele adormeceu - a aquele homem que interpreta um homem bom.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar.