quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Hapiness Is A Warm Gun


Ele olhou mais uma uma vez para a arma estava descarregada,ele não tinha mais balas de tanto atirar na parede para descarregar a raiva que sua vida estava naquele insuportável de ódio e tédio.
Olhei para ele mais uma vez e não disse nada,notei em seus olhos guardavam um certo ar de rancor e de solenidade,mostrando o que ele realmente sentia sobre tudo aquilo que vivia.E temia que uma daquelas balas   entrasse em meu peito acidentalmente e eu morrer.
Ele respirava mais forte a cada instante,como se não conseguisse mais viver.Aquilo era seu último suspiro de vida,clamando por uma alegria mais intensa,um amor mais vívido,ou pelo nada que o aguardava.
-Cansei de tudo isso - disse ele largando a arma.
-Eu também - respondi.
-Tudo o que me restou foi uma arma velha,meus cigarros e Álbum Branco dos Beatles - suspirou.
-Lennon tinha razão ao dizer que a felicidade é como uma arma quente - murmurei.
-Uma arma quente sem balas. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar.