segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

No Gramofone: 2013 em 13 Canções

Resolvi listar algumas músicas que foram a trilha sonora do meu 2013,meio baseado no  meu antigo Last Fm que infelizmente parou de funcionar e no meu novo Last Fm que eu tive que criar.Digo que foi uma lista um pouco de fazer,porque queria colocar tanta música e ai ficar imensa,e ai resolvi selecionar só treze!Espero que gostem!

    

~Essa foto da playlist é minha,a Joy do My Little World tirou de mim na escola e o livro que eu estou segurando é o Te Dou A Lua Amanhã... de Jorge Miguel Marinho.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Moscou

Com todas as tuas luzes
Com toda a tua neve
Ainda és a mais sozinha
De todas as capitais

Não admite lágrimas
Não admite loucuras
Mas procura tua felicidade 
Nos peixes e nas vodcas
Mas não encontra

Encontra escritores
Encontra amores
Encontra ódio e paz
Nas tuas fortalezas

Onde os solitários se reúnem 
Para dizer que se encontraram
Num lugar frio e pálido
Chamado Moscou

domingo, 22 de dezembro de 2013

Filmes: Não Sou Eu,Eu Juro!

vlcsnap-2012-01-26-00h26m00s35
Léon Doré  tem dez anos de idade, muitos problemas e uma imaginação extremamente fértil. Seus pais vivem brigando e seus irritantes vizinhos sempre passam o verão na praia. Há ainda Léa, a dona da razão. No verão de 1968 a mãe de Léon pede o divórcio e decide começar uma nova vida na Grécia. Desolado, o menino faz de tudo para esquecer a dor: bagunça a casa dos vizinhos, mente a todo momento, ignora as aulas e se apaixona.
Logo de cara,achei que seria um daqueles filmes em que o menino era rebelde demais e iria descontar os sentimentos de raiva e tristeza em qualquer pessoa,porém me surpreendi.
Me apaixonei por cada diálogo,muito bem elaborado,pelas peripécias de Léon e a questões sobre a vida,que as vezes nos pegamos pensando,como o amor,o suicídio,a vida,o primeiro amor/beijo,a solidão e o adeus.Temas tão trágicos,mas visto de uma forma tão delicada e doce.Fazendo com que esse filme se tornasse um dos meus favoritos.
naosoueu1
naosoueu2
naosoueu3
naosoueu4
naosoueu5
naosoueu6

trailer em inglês
Filmow
Até mais.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

And you can send me dead flowers every morning



Antes de partir te peço,me mande algumas flores.Mas não um buquê,por favor,acho buquê uma coisa meio fúnebre.Me mande flores,sejam elas vivas ou mortas.Cabe a você a decidir.Se me mandar as vivas,guardarei-as com o maior carinho,dentro de um pequeno vaso,na cozinha de minha casa,para que assim todas as manhãs,quando eu for tomar meu café da manhã eu possa contempla-las antes de um dia cheio e conturbado.
Mas se preferir me mandar as mortas,já que seu grande amor te obrigou a me enviar,tudo bem.Eu as aceito com o mesmo carinho,como se você tivesse me mandado flores recém colhidas.Porém,estas viraram adubo para as pequenas plantas de meus avós e outras flores que eu cuido.
Como eu disse,cabe a você decidir.


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Algo de mim.

Esse é um daqueles textos que parece uma daquelas músicas em que a Taylor Swift poderia escrever sobre um relacionamento dela que não deu certo.Ou também poderia ser uma música de adeus composta pela Lana Del Rey.Porém a Taylor nos diz em Begin Again que numa quarta-feira,num café,você acabará encontrando um novo amor.Já a Lana fala em Without You se você consegueria retratar uma vida em imagens roubadas.
É isso que eu me pego pensando,será que você consegueria?Ou me olharia me dizendo mais uma vez que tudo o que você diz esta certo,enquanto minha mente burbulha de ideias de para conspirar contra tal atitude.Você sabe como eu sou.Todos sabem.Isso não é verdade pra nenhum de nós dois e nem para o mundo à nossa volta que observa cada movimento de cada um.Porque você sabe muito bem que nunca foi “nós”,sempre foi eu e meu mundo,e você e seu ego de estrela decadente.
Sim,eu parei de acreditar nas amigas que isso poderia dar certo,mas não vai dar,é sabido,é nitido para os ambos lados,principalmente para o meu que se cansou de perseguir algo que desde o ínicio,eu sabia que não ia dar em coisa boa.E olha,não deu.E o que você fez?Sumiu?Jogou milhares de coisas na minha cara de que eu tinha a maior culpa,sendo que você que começou com estes joguinhos e eu não gosto de joguinhos,eu tinha te contado e você prefiriou não ouvir.
Uma vez minha amiga me disse que você valia um milhão de dólares.Mas pelo que vi,seu dote nem teria cinquenta centavos.
E uma vez me disse porque eu gosto das músicas de mais 6 minutos do Pink Floyd,e a resposta é que naqueles 6 minutos eu vejo tudo o que eu sou e o que sinto,além do mais,eles me estenderam a mão e caminham comigo observando cada pensamento meu.
Mas se você pensa que isso é um adeus,isso não é.Não sei lidar com finais.Eu sempre espero que as pessoas saiam da minha vida,apenas me dizendo: “É hora de eu ir!Até logo”,simplesmente indo embora.
E é exatamente isso que eu sinto nesse momento,chegou a hora de eu dizer adeus pra você.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

All Thing Must Pass.

George sorria,mas dentro de si sentia-se vazio.Estava rodeado de todos os seus familiares,mas sentia-se sozinho.Era domingo a noite,todos estavam reunidos na casa de sua mãe em Londres para o aniversário de seu pai e também seu último domingo de folga antes do período de festas de fim de ano,antes que ele entrasse em turnê.

Sentado ao lado de seu pai,fumando e discutindo sobre quem vencerá o GP de Formula 1 naquele dia e sobre sua vida como um Beatle.Seu pai sempre soubera que o filho queria largar aquela vida,porém este também sabia que o filho não seria capaz de abandonar aquilo que se comprometera fazer.

-Acho que você precisa de férias – disse o pai.

-Mas não posso tira-lás! – resmungou George um pouco estressado.

-George! – gritou sua mãe da cozinha. – Seu pai não tem culpa dos seus problemas!

-Eu sei mas… – respondeu George tentando controlar o açoite de sua língua,que parecia mais a de John do que a dele e sua raiva – não consigo ter mais um momento de paz!

-Acalme-se meu filho!Tudo passa!Inclusive todos os períodos de turbulência – George pensou que naquela hora,o velho estivesse certo,se ele esperasse mais um pouco,tudo aquilo poderia acabar,o ano,turnês,talvez os próprios Beatles também, e aquilo alcamou-o por um instante.

-Menos a sua fome George!Essa nunca passa! – gritou seu irmão,Harry,com a boca cheia de bolo que se aproximou de George e lhe deu um pequeno murro na sua cabeça.

-Ai! – respondeu George,enquanto todos riam daquilo.

***

-Ai que dor de cabeça! – disse George acabando de acordar, e afagando a parte de sua cabeça onde no sonho,seu irmão havia lhe dado o pequeno soco.

Ele se levantou,ainda afagando seus cabelos,calçou seus chinelos e foi em direção a cozinha,onde encontrou sua mulher,Pattie cozinhando o café da manhã.

-O que foi meu amor? – perguntou Pattie.

-Estou com uma forte dor de cabeça! – respondeu ele dando um beijo nela – Sonhei que estava numa festa de aniversário do meu pai e meu irmão começou com aquelas palhaçadas dele de me dar socos na minha cabeça!E eu e meu pai estavamos discutindo Formula 1 e também sobre o meu futuro dos Beatles e tudo mais.

- E o que mais meu bem? – perguntou Pattie.

-E meu pai me disse uma coisa até que interressante! – disse ele pegando uma xícara de café.

-O que ele disse? – perguntou Pattie também pegando uma xícara de café.

-Que nada vida tudo passa.

-Acho que me lembro agora,foi numa festa de aniversário do seu pai,que seu irmão falou que na vida tudo passa,menos a sua fome,não foi?

-Então era tudo verdade?Não foi só um sonho…

-Querido a gente tava meio chapado no dia!Foi por isso!

George e Pattie riram e sorriram.Poucas horas depois,sentado na varanda de sua casa,com seu violão e um pequeno caderno de anotações,George escreveu uma das mais belas canções de todos os tempos,All Things Must Pass,inspirada nessas pequenas lembranças cotidianas.

~como eu amo esse sorriso seu George <3 ~  

sábado, 23 de novembro de 2013

Save The Day













Hoje é o aniversário de 50 anos da primeira transmissão da melhor série de todos os tempos,pelo menos na minha humilde opinião,Doctor Who!E como eu não pude ir no cinema assistir The Day of the Doctor por conta da fuvest ~chorando eternamente por conta disso ~ resolvi fazer minha pequena homenagem aqui!




party party party yeah!


(tinha tanta gif pra por mas o post ia ficar enorme!)















terça-feira, 19 de novembro de 2013

Doce Novembro

Ou Outro Dia Comum em São Paulo.

Hoje é mais um dia de novembro.
É um daqueles dias que não se sabe se vai chover ou não,mas o céu continua cinza.Todos acabam ficando nesse impasse do chove ou não chove,se levam guarda-chuva ou não,se saem ou não do calor de suas casas para o trovões da rua.É mais um dia tipico de São Paulo.
Atende o telefone para se distrair,liga a televisão para se fechar do mundo,põem o fone de ouvido pra evitar ouvir a inevitável fofoca do ônibus lotado.Mas na realidade você nem sabe onde esta e de como você chegou a este lugar.
Minha professora de português falou de realidade na escola,nos disse que a vida real começa em janeiro.Mas a vida real não existe desde que nascemos?E todos esses anos que eu vivi até agora foram uma grande farsa,ou o que?Isso ninguém sabe te responder.
Como prosseguir a tudo isso?Dê adeus à tudo o que você conhecia e faça como eu,recomece tudo do zero.Eu simplesmente abracei o tempo e esqueci do resto.E agora flutuou no nada.



sábado, 16 de novembro de 2013

Livro: Percy Jackson e a Batalha do Labirinto



Já resenhei o eletrizante O Ladrão de Raios, o cheio de aventuras O Mar de Monstros e o triste,porém meu favorito da saga eternamente A Maldição do Titã, e hoje trago a resenha do quarto livro da saga do Olimpianos, A Batalha do Labirinto.
Se existe uma palavra para definir este livro,seria cansaço.Não me refiro à aquele tipo de cansaço, de que esse livro foi difícil de ler, se estivesse dizendo isso seria uma baita de uma mentira,mas sim do próprio cansaço físico,pois a cada página,a cada corrida, a cada aventura desse livro,você acaba ficando com o mesmo cansaço que o Percy!


O capítulo mais legal e interessante de todo o livro!



Descerás na escuridão do labirinto infinito,
O morto, o traidor e o perdido reerguidos.
Ascenderás ou cairás pelas mãos do rei espectral,
Da criança de Atena, a defesa final.
A destruição virá quando o último suspiro do herói acontecer,
E perderás um amor pra algo pior que morrer.
O Monte Olimpo está em perigo. Cronos, o perverso titã que foi destronado e feito em pedaços pelos doze deuses olimpianos, prepara um retorno triunfal. O primeiro passo de suas tropas será atacar e destruir o campo de treinamento dos heróis, filhos de deuses com mortais, que desde a Grécia Antiga combatem na linha de frente em defesa dos olimpianos. Para assegurar que esse refúgio de semideuses - o Acampamento Meio-Sangue - não seja invadido, Percy Jackson e um jovem ciclope, ambos filhos de Poseidon, Annabeth Chase, filha de Atena, e Grover, um sátiro, são destacados para uma importante missão - deter as forças de Cronos antes que se aproximem do acampamento. Para isso, será preciso sobreviver ao emaranhado de corredores do temido Labirinto de Dédalo - um interminável universo subterrâneo que, a cada curva, revela as mais aterrorizantes surpresas. 

Uma das cenas mais fofas desse livro é quando Percy e Annabeth se separam no Monte Santa Helena e antes de partir, Annabeth o beija e deixando Percy por alguns instantes, um pouco atordoado.E também temos Rachel Elisabeth Dare,uma garota mortal que apareceu em meio relapso na Maldição do Titã e que a partir deste livro,começa a ter um papel importante na história. 


De todos os cinco livros a frase que mais me chamou a atenção foi essa do Dionísio,que de um gesto simples pode,para alguns,serem grandes gestos.


Espero que tenham gostado!Até mais 





sexta-feira, 8 de novembro de 2013

No Gramofone: De volta à alegria

Nesses últimos tempos me peguei um pouco triste com a vida e com tudo.Na verdade,eu sempre me pego desse jeito e para voltar a ser uma menina feliz e de bem com a vida,eu escuto algumas músicas,pois a música é um remédio para a alma. e assim preparei uma pequena playslist com 9 músicas,algumas delas podem ter uma batida um pouco triste,outras podem ser mais animadas do que tudo!

Espero que gostem da playlist!






Tchau.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Eterno Cotidiano.

Tão perto,ao mesmo tempo tão distante.
Tão junto ao mesmo tempo tão separados.
Todos os dias no mesmo lugar.
Eterno cotidiano.
Eterno esquecimento.
Eterno quase amor.
Eterno nada.


Como criar um mundo novo,se nem esse conseguimos lidar?

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Tem alguém ai?

A gente acaba voltando para a superfície da forma mais inesperada.Eu sei.Acordei hoje de manhã sentindo isso,sentindo que me libertei de alguma coisa que eu não sabia o que era,mas me libertei.Não estou mais presa a coisas que todos me prendiam,porém eu me acorrentei a outras coisas que,de alguma forma poderão ou não mudar a minha vida,além de outras que eu ignorei para poder seguir em frente.

Mas penso que as vezes eu não deveria ter voltado da onde eu estava.Deveria ter ficado naquele pequeno local,onde eu estava muito bem confortavel e entorpecida,porque lá era o meu lugar,não aqui,eu ainda sinto isso e sentirei tudo isso até poder ter a chance de voltar para lá,abandonando tudo de novo.Mas não posso fazer isso,ainda não.Ainda quero fugir,mas não posso.

Já vou logo avisando,se eu fugir de novo,eu não vou levar você,deixarei você na sua casa,com seus livros,com suas músicas,com a sua vidinha,aquele lugar não é pra você e nunca será,pois nunca vou fazer do meu refúgio seja o seu também,é o meu refúgio,você tem sua casa se acomode-se nela,não na minha!

Como eu já lhe disse e Fernando Pessoa também disse,se for para ir para o inferno,eu prefiro ir sozinha,não quero que alguém segure a minha mão para mostrar o caminho,eu já sei qual é,porque eu voltei de lá,há alguns dias.

sábado, 19 de outubro de 2013

Ao Poetinha.

Querido Vinícius,

(posso te chamar de querido?Acho que posso sim!Afinal temos uma certa relação longa e confusa...) 

Você sabe que eu não sou boa com homenagens,você sabe muito bem,mas vou tentar.Por onde eu devo começar?Acho que já sei.Eu tinha uns 4 anos quando eu te conheci meio indiretamente,pois minha avó cantava "A casa" praticamente todos os dias e durante boa parte da minha infância eu tentei encontrar a Rua dos Bobos número 0,até eu descobrir que era um poema -um pequeno trauma de infância,mas whatever. Depois veio minha primeira peça de teatro,A Aquarela,é claro,eu ainda não te conhecia,mas guardei aquela lembrança pro resto dessa minha vida.
Tempos se passaram e com 13 anos,lá estava eu perdida na biblioteca da escola no fundamental II,procurando um livro pra ler,um livro diferente de todos.Fui na sessão da letra V e lá estava,aquele pequeno livro de capa azul com um desenho de um casal de mãos dadas,no qual estava escrito "Antologia Poética".Folhei o livro,achei interessante,tomei-o emprestado e levei pra casa e mostrei a minha mãe,ela disse que já havia lido e que era um dos melhores livro de poesia de todos os tempos.Leia esse daqui,disse ela me mostrando o Soneto do Amor Total,é melhor de todos.
Foi tiro e queda,me apaixonei,não só pelo livro,mas você também,querido.Afinal eu tinha encontrado o meu escritor favorito.
E durante 3 anos eu tornei a tomar emprestado esse mesmo livro,mesmo tendo mudado de escola,até que eu consegui um exemplar dele,que acabou se tornando o meu livro favorito.
E essa relação confusa cheia de encontro e desencontros pendura até hoje.Não nunca te abandonei,mesmo lendo milhares de livros todos os anos,mas sempre que posso,abro a Antologia e releio alguns poemas,para matar a saudade.
E mesmo todos da minha classe jurando que a professora de Português irá de te roubar mim e que o Chico Buarque tomará o seu lugar,eles estão muito enganados (mesmo eu amando o Chico),meu coração e minha inspiração serão sempre por sua causa.
Afinal teremos mais 100 anos juntos,meu bem.
Com amor,

Mariana.





segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Há um oceano no céu

Há um pequeno oceano no céu,antes de qualquer estrela ou planeta,depois dos prédios cinza,mais azul do qualquer um oceano existente nesse planeta.Mais vivo,mais calmo,mais solitário,mais inspirador inspirador.

Acabo boiando nele quase todas as noites,durante os meus sonhos.Mesmo eu não sabendo nadar,eu mergulho profundamente e de lá não volto mais,até a manhã seguinte.

Porque há um pequeno oceano no céu.                  

                    tumblr_mqx3nggUEG1qghwxto1_500

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Pictures Of Lily - Capítulo 12



Marie preparava sua mala para passar seu aniversário em Connie Island,junto com Jim,dobrou alguns vestidos para no caso de darem uma festa.Quando terminou a sua mala e fora arrumar a de Jim,resolveu ligar um pouco o rádio para se distrair um pouco e logo que ligou o aparelho que ficava numa escrivaninha na janela,ouviu Charles Aznavour cantar os primeiros versos de Tu T’laisses Aller,uma de suas músicas favoritas.
Enquanto ouvia a música,acabou se lembrando de Paris,sua cidade natal e de como não a visitava,lembrou-se de seus pais e sua irmã que moravam na cidade e que mal conversara com eles desde que toda essa confusão havia começado.E por fim,lembrou-se de um ex-namorado,Graham Bond,que cantarolou aquela música à ela na primeira vez em que fizeram amor.
-Faz tempo – murmurou para si mesma.
-O que foi meu bem? – perguntou Jim,entrando no quarto,tirando ela de suas lembranças.
-Ah nada – respondeu ela. – só estava me lembrando que tenho que telefonar para minha família,faz tempo que não converso com ela!
-Hum – disse Jim –tenho uma péssima notícia,não vamos mais viajar!
-Por que? – perguntou Marie,se levantando e desligando o rádio.
-Nosso querido amado produtor – respondeu ele – marcou shows para esse fim de semana!Me desculpe querida,não vamos poder uma festa daquelas!
-Entendo – respondeu ela – olha eu não estava tão afim de ter uma festa daquelas,acho que um bolinho entre nós dois,estará de bom agrado para mim!
-Como você quiser,meu bem – respondeu Jim,se aproximando dela e beijando sua testa – tenho que ir,agora,teremos ensaio e Ray já chegou aqui em casa.
Ele lhe roubou um beijo e se despediu e foi ao encontro do amigo.Marie ficou um tempo ainda sentada na cama,pensando no que ia fazer nos próximos instantes,até que ela se levantou,foi até a mesma escravinha onde estava o rádio,pegou um pequeno caderno escolar que havia comprado para rascunhar seu livro,pegou uma caneta e saiu de casa e foi em direção ao Central Park,para relaxar e escrever um pouco.
Caminhou um pouco,até encontrar um banco perto da fonte e se sentou,e começou a escrever um pouco.Escreveu três capítulos de seu livro,que contava a história de Susan,uma jovem que depois de terminar a faculdade e voltar para a casa de seus pais,se vem sem um futuro e então resolver fugir de casa e acaba indo parar no interior da Inglaterra,num pub sem dinheiro e acaba recebendo ajuda de um fazendeiro local,por quem se apaixona.
Em meio a tudo isso,num pequeno momento de distração olhando para fonte,viu uma figura conhecida,sua amiga,Nora Smith surgirá chorando e acabou se sentando na fonte e olhando para água e atrás dela,vinha vindo seu namorado,Keith Moon.
***
A briga continuará seguir,mesmo depois da chegada do Cream. Keith e Ginger,tentavam bater em Mike.A namorada de Ginger,Marianne,tentou separar a briga entre eles,mas seu namorado,a impediu. -É agora que eu te mato seu macaco de toquinha! – gritou Keith,enquanto Ginger segurava Mike para que Keith o socasse no estomago. –você irá pagar pelo que fez a minha boneca!!!
-Isso Moon!Acaba com ele! – gritava Ginger.
-Ginger!Solte o rapaz! – gritava Marianne.
-É melhor você se afastar,mocinha do ruivo – gritou Keith. –se não irá sangue em você!
Eric e Pete perseguiam Micky com a guitarra estraçalhada de Pete,de um lado para o outro no restaurante.
-Isso é pela Fefe! – gritou Pete do outro lado da sala,tacando um dos destroços em Micky,que se esquivava rapidamente.Eric lhe dava mais pedaços e lhe incitava a jogar mais –e isto é pela Nora!
Nami e Davy tentavam separar sem sucesso uma discussão entre Felicity e Alice,ainda falando sobre Mike e Nora terem namorado no passado.
-E eu que achava que vocês minhas amigas! – gritava Alice para Felicity ainda nos mesmos lugares aonde estavam sentadas.
-Sim,nós ainda somos suas amigas sua idiota! – respondeu Felicity aos berros.
-Gente,vamos nos acalmar!Não vamos relembrar o passado! – falou Nami.
-Ah cala boca – gritou Felicity e Alice em coro.
Lily,Jack,Roger e Rosie discutiam sem parar,culpando-se um aos outros sobre o término de namoro
  -Então você fez ele terminar com a namorada dele,só porque você estava com ciúmes de mim,é isso mesmo Lily? – disse Jack.
-Sim,foi isso que eu fiz – respondeu Lily. – e faria quantas vezes fosse necessária!
-Pobre Marie! – gritou Rosie. –largou seu amor por causa  de um ciúmes barato!
-Pobre nada!Aquela francesa sonsa merecia isso! – respondeu Lily – é tudo culpa sua!
-É culpa do Bruce – respondeu Roger.
-Minha culpa?! – respondeu Jack. –que culpa eu tenho,se desejo duas mulheres!
-Você é um cafajeste! – respondeu Rosie. –um safado sem vergonha!
-Só falava dessa ruiva aí! –gritou Lily.-por isso eu a odeio!
-Ah cale a boca!- gritou Rosie dando um tabefe no rosto de Lily.Roger segurou Rosie enquanto Lily xingava Rosie e Jack.
Já, Anastacia e John apenas assistiam,sentados numa mesa longe da discussão almoçando,já que não conseguiram separar tal briga.E Nora,só chorava,até que não aguentou mais e gritou:
-CHEGA! – todos pararam e olharam para surpresos para Nora,que levantou e saiu restaurante a fora.
-Boneca! Volte! – gritou Keith,largando Mike no chão e saindo do correndo atrás de Nora.
Todos ficaram em silêncio,tentando digerir a situação.Alice saiu do lugar aonde estava e correu até aonde Mike estava no chão,abaixou-se ao seu lado e perguntou a ele se estava bem e este mesmo com um olho meio roxo,afirmou que estava bem.Eric e Pete,largaram os restos mortais da guitarra de Pete e foram ao encontro de suas namoradas,perguntando se estas estavam bem e tudo mais.Lily ainda discutia com Jack,mas Ginger os separou,puxando Jack para o outro lado da sala.
-Acho que não deveríamos ter brigado por uma coisa tão besta como essa – disse Felicity.
-Era isso que eu tentava dizer a vocês!Mas alguém me ouviu?Prefiram se matar! –disse Nami
-Você tem razão –concordou Alice –ainda amigas?
-Claro –respondeu Felicity.
-Mas e a Nora? –perguntou Marianne.
-Só quando encontrarmos o Keith – respondeu Pete.
***
Nora correu mais do que seus pulmões aguentavam,até que parou e respirou um pouco,mas não conseguia parar de chorar.Mais uma vez se perguntou por que dois caras brigariam pelo amor dela.Primeiro foi entre Keith e Ray Davies,e agora,Keith e Mike.Ela não aguentava mais.Nora caminhou até o Central Park e sentou numa fonte,e se pôs a chorar novamente.
-Você sabe que eu odeio te ver chorar – Nora ouviu isso e virou-se para ver quem estava falando com ela e se deparou com Keith,com os olhos vermelhos de tanto chorar.
-Oh Moonie – ele se aproximou de Nora e  a abraçou –nunca gostei de ver você chorando também!
Ele limpou suas lágrimas e as dela também e sorriu.
-Acho que tenho te contar tudo – disse Nora – sobre o que rolou entre mim e o Mike.
-Seria uma boa mesmo –respondeu ele.
-Bem,depois que eu terminei com o George... – disse ela.
-O Harrison?- perguntou ele.
-Sim,ele mesmo – continuou ela –bem,eu fiquei um tempo sem namorar ninguém e fui trabalhar na Rolling Stone,e logo que eu entrei como estagiária,estava sendo a realizada a seleção dos atores para o seriado dos Monkees e Mike,Peter e Micky estavam em Londres,já que o último ator seria escolhido lá.Acabei ficando amiga deles,em especial do Mike,e Micky se aproximou de Felicity,porém ela,o detestava.E depois de sair várias vezes com Mike,ele me pediu em namoro e durante aqueles dois meses em que ele ficou na cidade,pensamos até em casarmos e depois disso,quando escolheram o Davy para integrar o elenco,eles voltaram para a América e daí começamos a nos corresponder por carta e eu até comecei a guardar dinheiro para me mudar para o Texas,onde ele morava.Mas numa bela manhã ele me mandou uma carta dizendo que queria terminar comigo,pois estava amando outra.
-E essa outra é a Alice? –perguntou Keith.
-Sim ,é ela mesmo – respondeu Nora.
-E você não se importa de encontrar ele com outra? –perguntou Keith.
Nora deu os ombros e voltou a olhar a fonte.
-Você sabe que eu o amo mais do que tudo nesse mundo! – respondeu ela,lhe dando um beijo.
-É eu sei – respondeu ele rindo.
Passaram um tempo juntos,namorando e pensando na vida.Até que Nora,avistou num banco,Marie sentada,escrevendo.
-Vamos falar com ela? – perguntou Keith.
-Ela merece saber a verdade – respondeu ela.
Os dois se levantaram e foram em direção ao banco de Marie,a cumprimentaram e conversaram um pouco com ela.Foi então,que Nora falou:

-Temos algo para contar e é sobre o Roger,talvez esclareça tudo o que aconteceu,entre você,ele e o Jim.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Eu só queria desabafar.

É como tentar explicar tudo de uma forma simples e concisa,que não haja enrolação ou qualquer distração,mas não consigo.Não é nem por força de vontade ou porque eu não quero contar,ou qualquer coisa do tipo,só que eu não consigo.

Abro o Writer e o blog todos os dias,digito meia dúzia de palavras,mas elas nunca vão para frente.Olho para aquela vastidão branca desejando loucamente escrever algo,mas o maldito do bloqueio me impede de escrever qualquer coisa.

Ultimamente minha vida parece uma montanha russa,uma hora estou em paz comigo mesma vivendo no mundo dos unicórnios felizes azuis,correndo e saltitando,em outros,tudo me entristeço com tudo,até com o comercial feliz de margarina.Creio que tudo isso que eu esteja sentido é pelo fato do vestibular e a apresentação final do meu TCC estarem logo aí e eu como muito inteligente que sou,não sei quase nada sobre os dois.

Creio que isso tudo pessoal.

P.S. = Prometo que da próxima vez eu escrevo algo de feliz nesse blog.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Te dou a Lua amanhã

In - "Te dou a Lua amanhã..." de Jorge Miguel Marinho

-O que queres tanto na vida?
-Nada.
-Nada?
-Sim,nada.
-Ora todos desejam algo na vida!Por favor,conte-me seu sonho.
-É uma coisa besta,nem vai ser tão importante!
-Mas estou curiosa!Por favor,conte-me!
-Tudo bem.Quero a Lua para mim!
-Hum,talvez isso seja possível!
-Como assim possível?
-Espere até de amanhã de manhã!Quando acordastes de seus estranhos,encontrará ela numa caixinha de sapatos na sua janela!

domingo, 1 de setembro de 2013

"E se eu não fosse eu mesma,então o que eu seria?"

É uma daquelas perguntas que se fixam na sua mente e não saem de lá,até que você encontre uma resposta "aceitável" para elas,se não,ela tende a ficar lá por muito tempo.

No meu caso,esse tipo de pergunta me prende a todo momento,o que é bom e ruim ao mesmo tempo,porque essas perguntas aparecem no momento em que eu estou fazendo provas e acabo me distraindo ou tais questões voltam quando eu estou distraída no ônibus e aí,tentam responder.

E enquanto lá estava eu durante uma aula técnica,ouvindo meu professor contar uma piada um tanto desnecessária sobre um cara que sei lá,ele era esperto e tinha quinze anos de praia ( e nem pergunte o que seria esses tais "quinze anos de praia",que eu nem sei o que é) e uma outra que eu até apaguei da minha mente para não ter de me lembrar e a perguntar voltou a aparecer.

"E se eu não fosse eu mesma,então o que eu seria?"

Para alguns isso seria a coisa mais fácil de se responder.”Eu seria tal animal” ou “Eu seria tal pessoa famosa,por isso e isso”.Eu penso em milhares de possibilidades,mas nunca encontro uma certa resposta definitiva.Mas,só sei que nem sem quem eu seria se eu fosse famosa,talvez eu seria o Woody Allen,pois compartilhamos de alguns mesmo pensamentos e frustrações também,ou seria uma gata preta de olhos bem pretos.

Ou talvez,somente eu mesma.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Desses velhos dias que me corroem por dentro,eu acabo me calando e aguentando a dor,sem dizer nada.E quanto mais eu a guardo,mais eu me quebro por dentro.

Deveria jogar tudo o que há dentro de mim fora,meus sonhos mortos,minhas ideias que nunca serão utilizadas e mostrar a todos a minha putrefação interna no seu estado mais avançado.Porque,internamente,eu já deixei de existir a muito tempo e o que restou foi somente um pequeno fragmento de vida e acabei mostrando meus ossos ao mundo.

Engoli tudo isso com um sabor de refrigerante sem gás.Sei que nada disso é bom.Sei que nada que escrevo é bom.Então o que é que eu estou fazendo aqui?Mostrando a minha melancolia.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Livro: Percy Jackson e a Maldição do Titã


Já li o Ladrão de Raios e o Mar de Monstros,e em maio (sim,em maio),eu li A Maldição do Titã,que até agora se tornou o meu favorito de todos os livros dessa saga tão envolvente.
De todos os livros da saga,a Maldição do Titã é considerado o livro mais soturno de todos.Particularmente,eu também achei isso,mas há algo de feliz em toda essa melancolia.

Sinopse:

A oeste,cinco buscarão a deusa acorrentada
Um se perderá na terra ressecada
A desgraça do Olimpo aponta a trilha
Campistas e Caçadoras,cada um,brilha,
A maldição do titã um deve sustentar,
E,pela mão do pai,um irá expirar

Um chamado do amigo Grover deixa Percy a postos para mais uma missão: dois novos meios-sangues foram encontrados, e sua ascendência ainda é desconhecida. Como sempre, Percy sabe que precisará contar com o poder de seus aliados heróis, com sua leal espada Contracorrente... e com uma caroninha da mãe. O que eles ainda não sabem é que os jovens descobertos não são os únicos em perigo: Cronos, o Senhor dos Titãs, arquitetou um de seus planos mais traiçoeiros, e nossos heróis serão presas fáceis. Um monstro ancestral foi despertado – um ser com poder suficiente para destruir o Olimpo –, e Ártemis, a única deusa capaz de encontrá-lo, desapareceu. Percy e seus amigos têm apenas uma semana para resgatar a deusa sequestrada e solucionar o mistério que ronda o monstro que ela caçava.Divertidíssima e repleta de ação, essa terceira aventura da série coloca nosso herói e seus aliados frente a frente com o maior desafio de suas vidas: a terrível profecia da maldição do titã.

Foi aí que eu comecei a realmente gostar da Bianca Di Angelo!


Neste livro,conhece-se dois novos meio-sangues,os irmãos Nico e Bianca Di Angelo,que na minha opinião são uns dos meu personagens prediletos,e além do aparecimento de Ártemis e sua principal caçadora,Zoë Doce-Amarga,outra de minhas personagens favoritas.Além do aparecimento dos deuses Ártemis e Apolo.

Os Haicas sem sentido do Apolo '-'

E de todos os livros desta saga,esse acabou se tornando o meu favorito!!


Estava estudando,porque no outro dia ia ter prova de literatura


Espero que vocês tenham gostado da resenha!E me perdoem pelo atraso!Até mais.

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Mastiguei meu coração

                dany

Eu podia sentir as dores aumentando a cada instante.Toquei meu peito,na região do coração e ele batia alucinado.E ele doia.Doia como se alguém tentasse arrancá-lo com uma faca,e fosse cortando delicadamente cada veia,fazendo com que o sangue acabasse sendo espalhado pelo resto do meu corpo.

Percebi que estava crescendo demais, e notei que meu coração não aguentaria mais aquilo.Então num ato desesperado,antes de alguém tomasse tal atitude,por maldade ou bondade,arranquei meu coração com os meus próprios dedos e acabei não sentindo nada mais que um aperto nele.

Meu coração era quente,bem mais quente que minhas mãos,que acabaram se beneficiando da situação e se aqueceram em meio à todo aquele sangue,e este jorrava,fazendo com que a camisa branca que eu usava,parece uma toalha de mesa com um pouco de vinho derramado nela.Era visão assustadora.

De início eu não sabia o que fazer com aquele orgão.Se guardava numa caixa de sapatos velha debaixo de minha cama,ou se envelopava e mandava pelo correrio para aqueles que me amavam e prezavam minha estranha vida.Mas no final,mastiguei-o enquanto assistia à novela das três,sem niguém ver e o resto,dei para o meu cão,que se banquetou com aquele pequeno aperitivo.

A vida compartilhou mais alguns 3 dias comigo e depois a morte estendeu sua mão para que eu desse uma volta com ela.Faleci às 16h00 de uma quarta-feira patética,sem ninguém ao meu lado.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

I want to be a paperback writer

Dizem por aí que nós escritores conseguimos criar um mundo novo a partir do nada.Sim,isso é verdade,outra verdade que se vive se espalhando por aí é que um escritor escreve a todo momento.Isso não é tão verdade assim.Até se da para criar um mundo totalmente novo com a nossas palavras e tem alguns escritores até conseguem escrever a todo momento,sem parar.Esse não é o meu caso.

Sim,confesso que tenho muita vontade de escrever um monte de coisa a todo momento,que sempre tem ideias novas e consegue desenvolver tais.Porém,não consigo.A todo momento,lá estou eu sempre sem ideias,num eterno bloqueio,que sempre é quebrado quando eu estou numa prova (é estranho,eu sei) ou antes de dormir,e elas sempre somem e nunca dá pra usa-las e coisas do tipo.

Mas as vezes consigo me organizar,consigo escrever alguma coisa no meio de uma aula técnica,pra distrair um pouco,sem ter que ficar lá me matando pra pensar em algo.

É isso.Feliz dia do escritor,você caro colega que consegue escrever milhares de coisas com sua inspiração ou que você tenta,como eu.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Filme: Os Sonhadores

É aquela velha história.A gente sai do filme,mas o filme não sai da gente,até que vejamos outro e acabemos ficamos do mesmo jeito.É sempre assim.Saio da minha vida,pra viver alguma aventura por uns dias,quem sabe até meses,mesmo vendo outras coisas.
E foi isso o que me ocorreu quando eu assistir Os Sonhadores.
Um dos motivos que me fizeram ver esse filme foi de que ele se passava em 1968 e em Paris,duas coisas qual eu adoro e porque um amigo meu também tinha me indicado a muito tempo atrás e eu só esses tempos me lembrei de me assistir.
O filme conta a estória de Matthew,um estudante que foi à Paris estudar francês por um ano.O ano é 1968 e a cidade vive à efervescência de várias manifestações e uma delas,na qual ele meio que "participa",sobre o fechamento da Cinemateca Francesa,local onde ele frequenta por ser um cinéfilo e no meio dela ele acaba conhecendo os gêmeos Theo e Isabelle.E assim,depois de um jantar no apartamento onde Theo e Isabelle vivem com seus pais,Matthew se muda para lá e assim os três começam a viver juntos e ter seus descobrimento sobre a vida,o amor à 3 (ou a 2,já que Theo,gostava de frisar a todo instante à Matthew,que mesmo que ele estava saindo com a irmã dele,Theo não gostava disso) e as experiências da época.
Esse filme é um filme que te ensina sobre cinema,pois os três personagens são cinéfilos e além de se conhecerem numa manifestação em frente a Cinemateca, há também várias referências de filmes como a cena na qual eles correm pelo cinema foi baseada em Band à Part de Jean-Luc Godard,outra na qual referência A Vênus Loura,que tem Marlene Dietrich como atriz principal,entre outros.
Quando terminei de ver Os Sonhadores,eu fiquei com aquele gostinho de "quero mais",mas eu já sabia que ele não possuía uma continuação,então pus eu mesma a sonha uma certa continuação,um pequeno depois para o fim.Porque esse filme foi o maior "E se" que eu já tive,pois imagine se a Isabelle se "liberta-se" do irmão e começa-se a pensar por si própria,se vive-se amando seu pequeno Matthew e larga-se de Theo por um tempo,e este começava a ver que o mundo não gira entorno dele,e que Matthew educa-se aqueles dois e não somente ficar somente observando com medo daquilo tudo.
Tive tantas ideias para esse filme,mas eu tive que acertar o fim,mas não fim ruim,foi até que bom,porque conseguiu concluir e deixar com uma vontade de quero mais e se tornando um dos meus filmes favoritos.









segunda-feira, 15 de julho de 2013


""""Feliz"""" (entre muitas aspas) aniversário,porque eu não sei se isso há algo de feliz nisso,mas se você estivesse aqui,estaria completando 57 anos!Sim,seria muito tempo eu sei,mas pelo menos você estaria aqui,mas você perdeu o controle e se foi,culpa do amor que separou tudo.


(e eu ainda não sei fazer um parabéns descente,pois é).
"O que vemos por toda a parte?O caos"

"O que você quer dizer?"

"O que eu digo é que um pouco de lucidez não faria mal nenhum"

"Então,todos estão errados menos você?"


--Dialogo entre Theo e  seu pai,Goerge em The Dreamers.



talvez eu não deveria ter perguntado se você estava bem ou como foi o seu dia,deveria ter ficado calada,na minha sem ter feito absolutamente nada para atrapalhar a sua linda vida,que você vive todos os dias,sem ninguém para atrapalhar.Talvez.Um grande Talvez,com letras maiúsculas escritos numa folha branca.Mas sinto muito meu querido,cansei de ser movida por talvez,cansei de aguentar tudo o que você faz.Vou viver na minha vida,vou correr pelo Louvre com os meus amigos e bater o recorde de correr por todas aquelas salas sem nenhum policial nos impedir,afinal sou uma dessas pessoas que vive livre sem ninguém ao lado.
E ainda acha que me falta alguma lucidez?


sábado, 13 de julho de 2013

Pictures Of Lily - Capítulo 11



Adam Hart lia a carta do editor londrino da Rolling Stone,Richard Sullivan,enquanto fumava um cigarro e sorria para Marie."
Acolha esta pequena jovem por algum tempo",escreveu Richard,"as coisas que aconteceram com ela nesses últimos tempos,foi algo preocupante (se você quer saber,o namorado dela,o Roger Daltrey,daquela banda que destrói tudo no palco,o The Who ficou com uma menina na frente dela e deu o maior conversa aqui em Londres,querem crucificar ela aqui,mas eu não entendo,ela não fez nada de errado,foi culpa do cara,mas ela também namora agora aquele Jim Morrison).Ela é uma jornalista esforçada,consegue entrevistas e matérias com qualquer um....
-Vejo que o Ritchie gostava muito de você - disse Adam,apagando seu cigarro e pegando outro,e oferecendo a Marie e ela aceitou um,pois naquele curto espaço de tempo,Jim havia a ensinado a fumar - ele sempre falava de como gostava de suas garotas e de como elas trabalhavam!Me deixava até com inveja!Já que o pessoal daqui é meio incompetente,mas enfim,será uma honra ter você aqui,Marie Greyhound!Pode começar na segunda,às 9h00?
-Claro - respondeu Marie sorrindo.
-Pois bem - Adam abriu uma das gavetas da longa mesa de carvalho e de lá tirou dois lp's do The Lovin' Spoonful e entregou à Marie - conhece Lovin' Spoonful?
-Hã...já escutei algumas vezes - respondeu ela.
-Bem,segunda-feira você irá passar o dia com o líder e vocalista da banda - ele fez uma pausa e se distraiu com alguma coisa escrita num bloquinho de papel - o nome dele é John Sebastian.
-Tudo bem - respondeu ela - mais alguma coisa,sor?
-Adoro esse sotaque de vocês britânicos - falou ele,surpreendendo Marie - mas enfim,isso não vem ao caso,venha - ele se levantou e se pôs a frente de Marie - vou-lhe mostrar todo o lugar.
Marie seguiu na sua frente,enquanto Adam ia dando pequenos tapinhas nos ombros dela,contando a história da revista e tudo mais,algo que Marie já havia sido ouvido quando há um ano e meio,quando entrará para a revista e até que chegou em um corredor que havia todas as capas de todas as revistas,emolduradas na parede.Havia ali vários artistas que ela conhecia bem: The Beatles,The Rolling Stones,Cream,entre outros e uma lhe chamou a atenção,a capa em que o Who estampará,que Felicity havia fotografado eles e Nora os entrevistou e Keith quase morrerá pela mãos de Ray Davies.Ela sorriu e se lembrou de tudo aquilo.
-Esta tudo bem? - perguntou Adam,ao ver Marie ali parada - ah,aquele era o seu namorado,sinto muito por tudo.
-Não tudo bem - respondeu ela tentando sorrir - já passou.
-Fico feliz - respondeu ele - bem,quero te apresentar à alguns membros da equipe - Adam conduziu Marie até uma pequena sala,onde se via algumas bancadas,repletas de máquinas de datilografar,cinzeiros,papeis jogados  e em cinco delas estavam algumas pessoas,escrevendo ou conversando- estes são Mike,Ed,Maggie,Edith e Allan,minha fiel equipe,pessoas,está é a Marie vinda de Londres para cá,ela será nossa novata aqui,então cuidem bem dela!
Marie os cumprimentou e conversou um pouco com o pessoal e depois foi embora.Na entrada do prédio,Marie encontrou Jim encostado em seu Mustang,esperando por ela e quando ela apareceu,Jim lhe deu um beijo quente e apaixonado.
-Então como foi lá? - perguntou ele retirando os óculos escuros e olhando para os lados com um certo receio de ser descoberto.
-Ah deu tudo certo! - respondeu Marie alegremente,entrando no carro - começo na segunda já!
-Isso é muito bom! - falou Jim,enquanto ligava o carro - pelo menos terá uma certa folguinha pra nós dois curtimos o seu aniversário,amanhã!
-Você tem razão! - disse ela - e ai alguma surpresa preparada?
Ele riu e olhou para ela e segurou sua mão e disse:
-Que tal Long Island?Tenho uma casa lá.
-Me surpreenda,meu amor!
E Marie beijou a bochecha direita de Jim.
***
Depois da sessão de fotos,Lily convenceu à todos que deveriam almoçar e ela os levou até um pequeno restaurante italiano no fim da rua,que segundo ela era o melhor de toda a cidade de Nova York e ela também conhecia o dono.Chegando lá,o próprio dono os recepcionou e com a ajuda dos integrantes das duas bandas,a colocar a mesa para as 14 pessoas e todos pediram o mesmo prato,que era a especialidade da casa,lasanha com molho à bolonhesa.
Enquanto esparavam,Peter Tork e John Entwistle tiveram uma agradável conversa sobre baixos.Lily,Anastacia e Roger conversavam sobre a sessão de fotos;Nami,penteava e despenteava os cabelos de Davy; Alice observava Mike intrigada,pois este olhava Nora com um certo olhar apaixonado,enquanto Keith pensava,martelando um garfo na mesa,nas possibilidades de como fazer Mike engolir aquela toquinha e Pete pensava o mesmo,fuzilando Micky com seu olhar,enquanto Felicity lia uma revista sobre fotografia.
-Você ainda usa o gorrinho - disse Nora distraída,surpreendendo a todos - depois de todos esses tempo!O segundo Doutor também usa um gorrinho como o seu...
-Vocês duas ainda gostam daquela série lá do E.T da caixa azul? - perguntou Micky.
-Claro! - respondeu Nora - vocês dois ainda lembram?
-Sim! - respondeu Mike - vocês duas viviam falando disso pra nós dois!Como poderíamos esquecer de uma coisa dessas?
-E.T da caixa azul? - perguntou Alice - estou confusa!
-É uma série britânica que elas duas gostavam de assistir,chamava Doctor Who,eu acho - respondeu Mike.
-Oh você acertou! - disse Nora - não faz tanto tempo assim,Mike!
-É você tem razão - respondeu Mike.
-Desde quando vocês se conhecem? - perguntou Alice e Keith com uma certa raiva.
-Pode parecer estranho - disse Nora,sorrindo para Mike - mas algum tempo atrás,eu e o Mike,já fomos namorados e se você quer saber Alice,eu que dei esse gorrinho para ele!
Keith e Alice ficaram chocados com a notícia.
-Eu sempre soube que aquele gorro era um presente - disse Micky chocado - mas não sabia que tinha sido presente da Nora!
-Nora eu sei que de certa forma eu fui responsável por você e o Mike terem terminado - disse Alice,tentando controlar sua raiva - mas flertar com o Mike isso já é demais!Você tem o Keith!
-É você tem a mim! - gritou Keith.
-Mas eu não estou flertando com o Mike! - gritou Nora - eu só estou feliz por vê-lo,só isso!
-Na verdade é o Mike,que esta flertando com ela! - gritou Micky.
-Micky não contribua,por favor! - falou Felicity.
-E me diga Nora,como o Micky conhecia a Felicity? - perguntou Pete,bufando de raiva.
-Hã...bem...ele era amigo do Mike e ele gostava dela - falou Nora - mas ela o havia como um amigo e...
-E eu o dispensei,se você quer saber - disse Felicity à Pete.
-Mas isso não me impede te tentar de novo - disse Micky - Fefe,eu ainda te amo,me da mais uma chance?
-Ora seu! - Pete se levantou e pegou sua guitarra,que estava guardada numa mala e sacou ela e mandou na direção de Micky e este desviou por pouco.
-Quando ouvi dizer que você quebrava guitarras,não achei que isso seria verdade - falou Micky assustado.
-Você mereceu - disse Peter Tork - eu te avisei!
-E temos uma briga!Uma não,duas! - gritou Lily - e ai,vamos apostar?Amor,quer apostar?O Pete faz o Monkee engolir prato e a guitarra ou no Moon,que faz o Mike engolir a toquinha?E ai?
-Ta certo...opa...o que é isso? - disse Roger - não aposto nada,de onde você tirou essa de apostar?Não vê que o Keith e o Pete são as pessoas mais violentas que existe!
-Espera eu já vi isso antes - sussurrou Anastacia para John - foi no aniversário da Nora,o Jack Bruce fez a mesma coisa,do mesmo jeito!
-Eu estou me lembrando! - respondeu John intrigado - ele apostou que eu ia matar o Brian Jones!
-Sim sim - respondeu Anastacia - e que o Eric ia matar o Lennon e o Pete,de novo, ia matar o Keith Richards e o Moon e o Ginger,o Ray Davies!
-Escuta Lily,de onde você conhece o Jack Bruce? - perguntou John à Lily.
-É uma longa história - respondeu ela distraída,observando Keith pegando Mike pelos colarinhos e o ameaçando de morte - nós já fomos noivos.
-Noivos? - perguntou Roger chocado.
-Sim,eu terminei com ele porque ele só falava da Rosie,aquela maldita - respondeu Lily brava.
-Disso eu sabia - sussurrou Anastacia para John - que ele falava o tempo todo da Rosie,Marianne me contou,mas na frente da noiva!Isso não se faz!
-Sim,menina do Entwistle - disse Lily escutando a conversa do dois - ele só falava dela,eu não suportava mais aquilo!Era sempre: "Ah Rosie eu te amo!Ah Ruiva eu vou te ter...",aquilo não dava mais!
-Noivos? - perguntava Roger ainda chocado - porque você não me falou isso!
-Porque eu não gosto de falar sobre isso! - respondeu Lily.
-Mas fazer com que a Belle beija-se o Roger na frente da Marie você também não gosta de falar - disse John - mas do Jack Bruce,nem consegue ouvir o nome!
E quando John termina a frase,o Cream entra o restaurante.
-Eu costumava vir aqui com a Lily...- disse Jack Bruce aos amigos,que acabavam de entrar.Todos pararam,um pouco chocados com a briga entre Keith e Mike,e Pete e Micky.
-Doctor Jekyll! - gritou Lily à Jack.
-Miss Jekyll! - respondeu Jack com um grito.
-Rosie!- gritou Lily - eu te mato sua ruiva metida!
-Cream?-perguntou Keith,ainda segurando Mike pelos colarinhos.
-Eric - falou Pete.
-Ginger! - gritou Ginger Baker com um sorriso,enquanto todos o olhavam - vamos pequena,grite seu nome também! - disse Ginger a sua namorada,Marianne.
-Oh Ginger,por favor! - respondeu Marianne - agora não,se não sobre pra você!
-Pete,de novo cara - disse Eric.Pete pegou os restos da guitarra e tacou em Micky.
-Eu me rendo! - gritou Micky.
E o dono do restaurante apareceu com os pratos de lasanha,um pouco chocado com tudo o que viu.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Filme: Submarine



Eu assisti esse filme no começo desse ano,porém,estou sempre esquecendo as coisas e só agora eu me lembrei de fazer a resenha,de um filme que se tornou um dos meus favoritos e que também possuiu uma trilha sonora perfeita!
Sinopse:
Submarine, filme de estréia do inglês Richard Ayoade, é isso: O primeiro amor de um adolescente peculiar, com tendências obsessivas e manipuladoras, para quem tudo é uma questão de vida ou de morte, que passa demasiado tempo refletindo sobre si mesmo, sonhando, por exemplo, com um fantástico funeral em que todos chorariam desconsolados por sua morte. Daí fica pior: Ele deve conviver com seus hormônios, com os conflitos de sua recém iniciada relação com a garota ideal e “salvar” o casamento de seus pais, cuja ruptura parece iminente depois dos encontros da mãe com um estranho vizinho que lhe serve de guru místico espiritual.
Este filme é delicado e sútil,muito delicado mesmo,mas delicado ao ponto de quebrar,delicado no sentido de um amor mais bonito que eu já vi ( e nota,eu adoraria viver um romance igual ao do Oliver e da Jordana).E esse filme te deixa com vontade de pensar naquelas estranhas perguntas sobre a vida,a morte,o por que de nós existirmos e a nossa finalidade nesse vasto mundo,o amor em si, entre outras coisas que Oliver nos faz pensar.

Um casal muito perfeito *-*

E uma das coisas que também me fez amar ainda mais este filme,foram as cenas em que eles estão de frente para o mar.



Ah,a trilha sonora do filme foi toda composta e cantada pelo Alex Turner do Arctic Monkeys ♥.


Espero que tenham gostado da resenha!Até mais.

   
                                      



segunda-feira, 1 de julho de 2013

Pictures Of Lily - Capítulo 10



Lily tomava chá e folheava uma revista,no restaurante do hotel onde ela e ironicamente,Roger estavam hospedados."Talvez seja o destino querendo me ajudar" pensou ela,enquanto anotava em cima de uma foto quais as modificações que o editor que havia contratado ela para fotografar modelos arrumasse.Olhou para o seu relógio,eram quase 11h30 da manhã,e Roger não aparecia.Pouco depois ele,apareceu usando uma jaqueta Jeans e calças do mesmo tipo e em seus olhos,estava usando um óculos escuros.
-Bom dia,meu bem - disse Lily,enquanto Roger se sentava.
-Você sabe que eu não seu - respondeu Roger num tom seco.
-Mas poderá ser - respondeu Lily.Um garçom surgiu e perguntou o que este desejaria,Roger respondeu que  queria o mesmo que Lily tomava,o garçom olhou para a xícara e resmungou: "Britânicos".
-O que você quer? - perguntou Roger.
-Quero ser sua - respondeu  Lily,segurando a mão direita de Roger e a colocou em sua bochecha,estas estavam frias,mas ela sabia que ela poderia as esquentar.Por um momento,Roger teve um certo receio,mas seu coração estava clamando por um pouco de carinho. - quer dar uma volta comigo?
-Tudo bem - suspirou Roger.
-Este será o melhor encontro da sua vida - respondeu ela,mas ele se lembrou de quando conheceu Marie e se lembrou que aquele não seria seu o melhor encontro de todos,mas uma escapada de todas as dores que estava sentindo naquele instante.
Ele afagou o rosto dela,respirou fundo,estava cansado de tudo aquilo e desejava que tudo aquilo acabasse.
-Me surpreenda - falou ele.
-Você não se arrependerá.
***
Alguns dias se passaram,Roger e Lily engataram um pequeno romance,mesmo este ainda um pouco inseguro em amar de novo,pois seu coração ainda batia por Marie.E ainda,Roger e o todos do Who fizeram uma pequena participação no pequeno filme que Nora estava gravando.O último local que este seria filmado seria num estúdio,onde o Who e Monkees iriam ser fotografados para uma revista adolescente e o ensaio fotográfico estava sendo coordenado por Felicity e Lily.
Quando Nora estava filmando as últimas cenas,nas quais o Who entrava dentro do estúdio localizado num prédio velho do centro de Nova York,Alice que arrumava junto com Lily o estúdio,acabou trombando em Nora,fazendo com que estas quase caíssem de cara no chão e se não fosse John que segurou Alice,Keith segurando Nora e Pete num ato desesperado salvando a câmera de Nora.
-Olha eu achei que ia quebrar o dente - disse Nora à Alice,enquanto não parava de rir.
-Desculpa - falou Alice em meio aos risos,as duas estavam sentadas no chão do estúdio ainda rindo da situação.Alice e as meninas,naquele curto espaço tempo,se tornaram grande amigas,até mesmo com Lily,que sempre teve um certo temperamento difícil para lidar com as pessoas,acabou gostando da menina.
-E ai,quando a sessão vai começar? - perguntou Roger a Lily.
-Quando os outros chegarem - respondeu esta dando um pequeno beijo nos lábios de Roger.
-Que rapazes? - perguntou Anastacia.
-Fiquem calmos,eles já estão chegando - respondeu Lily - é que é uma surpresa pra uma certa pessoa.
Pouco depois,ouviram algumas vozes masculinas vindas do corredor e Alice reconhecia aquelas voz.
-Não acredito que serão eles! - gritou ela.
-Eles,quem? - perguntou Nora - espera,eu conheço essa voz!Não pode ser...
Surgiram da pequena porta,quatro rapazes,três mais ou menos da altura de John e um pouco mais baixo que Roger,e ao seu lado uma jovem um pouco mais alta que ele,caminhavam em direção para perto do Who,Alice saiu correndo do lugar onde estava sentada com Nora e pulou no nos braços do mais alto do grupo e lhe deu um beijo apaixonado.
-Olá Nez - disse ela,a seu namorado,Mike Nesmith - não sabia que você e os rapazes iriam ser fotografados com eles!Minhas duas bandas favoritas!Só falta os Yardbirds!
Ele deu uma piscadela a ela e Alice apresentou cada um dos integrantes da banda de seu namorado,os Monkees, ao Who.
-Este são Pete,Micky,Davy,sua namorada,Nami e o amor da minha vida,Mike! - disse ela,depois procurou por Nora e Felicity,e voltou-se para Mike - queria que você conhecesse duas amigas minhas,mas parecem que elas sumiram,ah elas estão vindo ali!
Nora e Felicity vinham vindo do corredor do banheiro,estavam conversando distraidamente,foi quando Nora parou assustada,quando Alice chamou seu nome.
-Mike? - perguntou Nora um pouco chocada - Mike Nesmith,é você mesmo?
-Nora! - disse ele estalando os olhos - Felicity!A quanto tempo!
-Olá Mike - respondeu Felicity e depois olhou para Micky - como vai Micky?
-Ah eu vou muito bem,Fefe - respondeu Micky de forma atrevida.
Nora se apressou e deu um grande abraço em Mike e enquanto Pete,Keith e Alice estavam chocados com tudo aquilo.
-Ã...vocês se conhecem? - perguntou Nami.
-Ah é uma longa história - respondeu Mike ainda sorrindo olhando para Nora - e acho que não poderemos conta-la agora!
-É verdade - respondeu Lily rindo de tudo aquilo - é hora de vocês serem fotografados!
Lily e Felicity mandaram este trocarem de roupa e serem maquiados,depois foram fotografados pelas duas.Ao final da sessão,Keith notou que Mike olhava intensamente para Nora,o que deixou com um pouco de enciumado,e este foi falar com Mike:
-Olha,eu não sei como você conheceu a minha boneca - disse Keith agarrando a camisa de Mike e colocando junto à parede - mas o que quer que você tenha feito com ela,que a magoou,eu faço essa sua toca parar no meio das suas costelas
***
Depois daquela festa,Marie havia se tornado amiga de Truman Capote,que adora a história que estava escrevendo,o que deixou Marie muito orgulhosa de seu trabalho e Jim mais apaixonado ainda.Os dois agora praticamente não se desgrudavam,até que numa manhã em que tomavam café num apartamento de Jim,eis que este lhe fez uma pergunta:
-Gostaria de ser minha namorada? 
Marie se sentiu um pouco insegura,ainda amava Roger,mas estava com muita raiva deste,então fez sua escolha.
-Eu aceito,meu amor.
Ela se levantou de sua cadeira,se sentou no colo de Jim e lhe deu um beijo apaixonado nos lábios dele,a vida voltará a sorrir para ela.