domingo, 3 de março de 2013

A Noite

A luz do luar entrava timidamente pela frestas da cortina,chegando timidamente até a parede branca,perto de um guarda-roupa marrom velho,que acabava ficando com a maior parte da luz amarelada fazendo com aquele quarto escuro se tornasse uma sala uma sala de cinema vazia.Aquilo chamou sua atenção.
Foi até a janela,abriu as cortinas e a janela deixando o ar frio da noite entrar naquele quarto quente.Olhou para a Lua,encantada com sua luz que chegava em seus dedos,em que ela brincava timidamente de tentar segurar os raios da Lua em sua mão,enquanto o vento frio batia em seu rosto.A noite estava escura como breu,as nuvens começavam a esconder a Lua,fazendo com que esta agora parecesse um olho de um lobo a observar-la cautelosamente.
Ouviu um barulho vindo de uma moita no jardim,acabou se assustando,seu coração subiu até a sua boca,mas o controlou,fazendo com que ele voltasse ao seu devido lugar.Continuou a observar a Lua,e seus pensamentos voaram longe na medida em que o vento aumentava.As nuvens tamparam completamente a Lua,e relâmpagos começaram a dar clarear a noite.Era hora de fechar a janela.
Enquanto arrumava as cortinas pensou em ver algum filme romântico para tentar dormir rapidamente ou ler algum dos dois livros que estava com vontade.Pensou em ligar para a sua mãe,perguntar se estava pensando aquelas férias bem;pensou em usar um pouco a internet ou tomar um banho quente,já que aqueles belos momentos a deixaram um pouco resfriada.Seu celular tocou,estava no bolso de sua calça,atendeu,era o seu namorado,perguntado se ela estava bem e se queria alguma coisa daquela viagem de negócios que ele fazia,respondeu-o que só desejava ele e que ele a aquecesse naquela noite fria.Um trovão soou no ar,fazendo com que seu quarto tremesse inteiro e outra vez,levou um susto,mas rapidamente se acalmou.
Seu celular caiu no chão,ela rapidamente abaixou e pegou-o e o limpou.Quando se levantou sentiu um arrepio correr todo o seu corpo,como se sentisse que algo iria acontecer.Seu coração começou a bater mais rápido,sua boca começou a ter um sabor estranho de sangue,sentiu também uma súbita vontade de vomitar,mas não conseguia.
Virou em direção a porta e viu um homem todo vestido de negro,somente com os olhos a mostra.Tentou gritar,mas não conseguiu,ele tampou sua boca com sua mão direita e com a esquerda sacou um punhal que estava preso em seu cinto e encostou em sua barriga,fazendo seu corpo inteiro gelar com o frio do metal.
-Não grite,por favor - falou o assaltante.
E antes que ela pudesse responder algo,um pano branco surgiu na sua frente e ele apertou em contra o seu  rosto,fazendo a inalar aquilo que estava no pano,fazendo com que ela caísse no chão,nauseada.
Sua última lembrança,é de ver a porta branca aberta para o corredor.

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar.