quarta-feira, 31 de julho de 2013

Mastiguei meu coração

                dany

Eu podia sentir as dores aumentando a cada instante.Toquei meu peito,na região do coração e ele batia alucinado.E ele doia.Doia como se alguém tentasse arrancá-lo com uma faca,e fosse cortando delicadamente cada veia,fazendo com que o sangue acabasse sendo espalhado pelo resto do meu corpo.

Percebi que estava crescendo demais, e notei que meu coração não aguentaria mais aquilo.Então num ato desesperado,antes de alguém tomasse tal atitude,por maldade ou bondade,arranquei meu coração com os meus próprios dedos e acabei não sentindo nada mais que um aperto nele.

Meu coração era quente,bem mais quente que minhas mãos,que acabaram se beneficiando da situação e se aqueceram em meio à todo aquele sangue,e este jorrava,fazendo com que a camisa branca que eu usava,parece uma toalha de mesa com um pouco de vinho derramado nela.Era visão assustadora.

De início eu não sabia o que fazer com aquele orgão.Se guardava numa caixa de sapatos velha debaixo de minha cama,ou se envelopava e mandava pelo correrio para aqueles que me amavam e prezavam minha estranha vida.Mas no final,mastiguei-o enquanto assistia à novela das três,sem niguém ver e o resto,dei para o meu cão,que se banquetou com aquele pequeno aperitivo.

A vida compartilhou mais alguns 3 dias comigo e depois a morte estendeu sua mão para que eu desse uma volta com ela.Faleci às 16h00 de uma quarta-feira patética,sem ninguém ao meu lado.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

I want to be a paperback writer

Dizem por aí que nós escritores conseguimos criar um mundo novo a partir do nada.Sim,isso é verdade,outra verdade que se vive se espalhando por aí é que um escritor escreve a todo momento.Isso não é tão verdade assim.Até se da para criar um mundo totalmente novo com a nossas palavras e tem alguns escritores até conseguem escrever a todo momento,sem parar.Esse não é o meu caso.

Sim,confesso que tenho muita vontade de escrever um monte de coisa a todo momento,que sempre tem ideias novas e consegue desenvolver tais.Porém,não consigo.A todo momento,lá estou eu sempre sem ideias,num eterno bloqueio,que sempre é quebrado quando eu estou numa prova (é estranho,eu sei) ou antes de dormir,e elas sempre somem e nunca dá pra usa-las e coisas do tipo.

Mas as vezes consigo me organizar,consigo escrever alguma coisa no meio de uma aula técnica,pra distrair um pouco,sem ter que ficar lá me matando pra pensar em algo.

É isso.Feliz dia do escritor,você caro colega que consegue escrever milhares de coisas com sua inspiração ou que você tenta,como eu.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Filme: Os Sonhadores

É aquela velha história.A gente sai do filme,mas o filme não sai da gente,até que vejamos outro e acabemos ficamos do mesmo jeito.É sempre assim.Saio da minha vida,pra viver alguma aventura por uns dias,quem sabe até meses,mesmo vendo outras coisas.
E foi isso o que me ocorreu quando eu assistir Os Sonhadores.
Um dos motivos que me fizeram ver esse filme foi de que ele se passava em 1968 e em Paris,duas coisas qual eu adoro e porque um amigo meu também tinha me indicado a muito tempo atrás e eu só esses tempos me lembrei de me assistir.
O filme conta a estória de Matthew,um estudante que foi à Paris estudar francês por um ano.O ano é 1968 e a cidade vive à efervescência de várias manifestações e uma delas,na qual ele meio que "participa",sobre o fechamento da Cinemateca Francesa,local onde ele frequenta por ser um cinéfilo e no meio dela ele acaba conhecendo os gêmeos Theo e Isabelle.E assim,depois de um jantar no apartamento onde Theo e Isabelle vivem com seus pais,Matthew se muda para lá e assim os três começam a viver juntos e ter seus descobrimento sobre a vida,o amor à 3 (ou a 2,já que Theo,gostava de frisar a todo instante à Matthew,que mesmo que ele estava saindo com a irmã dele,Theo não gostava disso) e as experiências da época.
Esse filme é um filme que te ensina sobre cinema,pois os três personagens são cinéfilos e além de se conhecerem numa manifestação em frente a Cinemateca, há também várias referências de filmes como a cena na qual eles correm pelo cinema foi baseada em Band à Part de Jean-Luc Godard,outra na qual referência A Vênus Loura,que tem Marlene Dietrich como atriz principal,entre outros.
Quando terminei de ver Os Sonhadores,eu fiquei com aquele gostinho de "quero mais",mas eu já sabia que ele não possuía uma continuação,então pus eu mesma a sonha uma certa continuação,um pequeno depois para o fim.Porque esse filme foi o maior "E se" que eu já tive,pois imagine se a Isabelle se "liberta-se" do irmão e começa-se a pensar por si própria,se vive-se amando seu pequeno Matthew e larga-se de Theo por um tempo,e este começava a ver que o mundo não gira entorno dele,e que Matthew educa-se aqueles dois e não somente ficar somente observando com medo daquilo tudo.
Tive tantas ideias para esse filme,mas eu tive que acertar o fim,mas não fim ruim,foi até que bom,porque conseguiu concluir e deixar com uma vontade de quero mais e se tornando um dos meus filmes favoritos.









segunda-feira, 15 de julho de 2013


""""Feliz"""" (entre muitas aspas) aniversário,porque eu não sei se isso há algo de feliz nisso,mas se você estivesse aqui,estaria completando 57 anos!Sim,seria muito tempo eu sei,mas pelo menos você estaria aqui,mas você perdeu o controle e se foi,culpa do amor que separou tudo.


(e eu ainda não sei fazer um parabéns descente,pois é).
"O que vemos por toda a parte?O caos"

"O que você quer dizer?"

"O que eu digo é que um pouco de lucidez não faria mal nenhum"

"Então,todos estão errados menos você?"


--Dialogo entre Theo e  seu pai,Goerge em The Dreamers.



talvez eu não deveria ter perguntado se você estava bem ou como foi o seu dia,deveria ter ficado calada,na minha sem ter feito absolutamente nada para atrapalhar a sua linda vida,que você vive todos os dias,sem ninguém para atrapalhar.Talvez.Um grande Talvez,com letras maiúsculas escritos numa folha branca.Mas sinto muito meu querido,cansei de ser movida por talvez,cansei de aguentar tudo o que você faz.Vou viver na minha vida,vou correr pelo Louvre com os meus amigos e bater o recorde de correr por todas aquelas salas sem nenhum policial nos impedir,afinal sou uma dessas pessoas que vive livre sem ninguém ao lado.
E ainda acha que me falta alguma lucidez?


sábado, 13 de julho de 2013

Pictures Of Lily - Capítulo 11



Adam Hart lia a carta do editor londrino da Rolling Stone,Richard Sullivan,enquanto fumava um cigarro e sorria para Marie."
Acolha esta pequena jovem por algum tempo",escreveu Richard,"as coisas que aconteceram com ela nesses últimos tempos,foi algo preocupante (se você quer saber,o namorado dela,o Roger Daltrey,daquela banda que destrói tudo no palco,o The Who ficou com uma menina na frente dela e deu o maior conversa aqui em Londres,querem crucificar ela aqui,mas eu não entendo,ela não fez nada de errado,foi culpa do cara,mas ela também namora agora aquele Jim Morrison).Ela é uma jornalista esforçada,consegue entrevistas e matérias com qualquer um....
-Vejo que o Ritchie gostava muito de você - disse Adam,apagando seu cigarro e pegando outro,e oferecendo a Marie e ela aceitou um,pois naquele curto espaço de tempo,Jim havia a ensinado a fumar - ele sempre falava de como gostava de suas garotas e de como elas trabalhavam!Me deixava até com inveja!Já que o pessoal daqui é meio incompetente,mas enfim,será uma honra ter você aqui,Marie Greyhound!Pode começar na segunda,às 9h00?
-Claro - respondeu Marie sorrindo.
-Pois bem - Adam abriu uma das gavetas da longa mesa de carvalho e de lá tirou dois lp's do The Lovin' Spoonful e entregou à Marie - conhece Lovin' Spoonful?
-Hã...já escutei algumas vezes - respondeu ela.
-Bem,segunda-feira você irá passar o dia com o líder e vocalista da banda - ele fez uma pausa e se distraiu com alguma coisa escrita num bloquinho de papel - o nome dele é John Sebastian.
-Tudo bem - respondeu ela - mais alguma coisa,sor?
-Adoro esse sotaque de vocês britânicos - falou ele,surpreendendo Marie - mas enfim,isso não vem ao caso,venha - ele se levantou e se pôs a frente de Marie - vou-lhe mostrar todo o lugar.
Marie seguiu na sua frente,enquanto Adam ia dando pequenos tapinhas nos ombros dela,contando a história da revista e tudo mais,algo que Marie já havia sido ouvido quando há um ano e meio,quando entrará para a revista e até que chegou em um corredor que havia todas as capas de todas as revistas,emolduradas na parede.Havia ali vários artistas que ela conhecia bem: The Beatles,The Rolling Stones,Cream,entre outros e uma lhe chamou a atenção,a capa em que o Who estampará,que Felicity havia fotografado eles e Nora os entrevistou e Keith quase morrerá pela mãos de Ray Davies.Ela sorriu e se lembrou de tudo aquilo.
-Esta tudo bem? - perguntou Adam,ao ver Marie ali parada - ah,aquele era o seu namorado,sinto muito por tudo.
-Não tudo bem - respondeu ela tentando sorrir - já passou.
-Fico feliz - respondeu ele - bem,quero te apresentar à alguns membros da equipe - Adam conduziu Marie até uma pequena sala,onde se via algumas bancadas,repletas de máquinas de datilografar,cinzeiros,papeis jogados  e em cinco delas estavam algumas pessoas,escrevendo ou conversando- estes são Mike,Ed,Maggie,Edith e Allan,minha fiel equipe,pessoas,está é a Marie vinda de Londres para cá,ela será nossa novata aqui,então cuidem bem dela!
Marie os cumprimentou e conversou um pouco com o pessoal e depois foi embora.Na entrada do prédio,Marie encontrou Jim encostado em seu Mustang,esperando por ela e quando ela apareceu,Jim lhe deu um beijo quente e apaixonado.
-Então como foi lá? - perguntou ele retirando os óculos escuros e olhando para os lados com um certo receio de ser descoberto.
-Ah deu tudo certo! - respondeu Marie alegremente,entrando no carro - começo na segunda já!
-Isso é muito bom! - falou Jim,enquanto ligava o carro - pelo menos terá uma certa folguinha pra nós dois curtimos o seu aniversário,amanhã!
-Você tem razão! - disse ela - e ai alguma surpresa preparada?
Ele riu e olhou para ela e segurou sua mão e disse:
-Que tal Long Island?Tenho uma casa lá.
-Me surpreenda,meu amor!
E Marie beijou a bochecha direita de Jim.
***
Depois da sessão de fotos,Lily convenceu à todos que deveriam almoçar e ela os levou até um pequeno restaurante italiano no fim da rua,que segundo ela era o melhor de toda a cidade de Nova York e ela também conhecia o dono.Chegando lá,o próprio dono os recepcionou e com a ajuda dos integrantes das duas bandas,a colocar a mesa para as 14 pessoas e todos pediram o mesmo prato,que era a especialidade da casa,lasanha com molho à bolonhesa.
Enquanto esparavam,Peter Tork e John Entwistle tiveram uma agradável conversa sobre baixos.Lily,Anastacia e Roger conversavam sobre a sessão de fotos;Nami,penteava e despenteava os cabelos de Davy; Alice observava Mike intrigada,pois este olhava Nora com um certo olhar apaixonado,enquanto Keith pensava,martelando um garfo na mesa,nas possibilidades de como fazer Mike engolir aquela toquinha e Pete pensava o mesmo,fuzilando Micky com seu olhar,enquanto Felicity lia uma revista sobre fotografia.
-Você ainda usa o gorrinho - disse Nora distraída,surpreendendo a todos - depois de todos esses tempo!O segundo Doutor também usa um gorrinho como o seu...
-Vocês duas ainda gostam daquela série lá do E.T da caixa azul? - perguntou Micky.
-Claro! - respondeu Nora - vocês dois ainda lembram?
-Sim! - respondeu Mike - vocês duas viviam falando disso pra nós dois!Como poderíamos esquecer de uma coisa dessas?
-E.T da caixa azul? - perguntou Alice - estou confusa!
-É uma série britânica que elas duas gostavam de assistir,chamava Doctor Who,eu acho - respondeu Mike.
-Oh você acertou! - disse Nora - não faz tanto tempo assim,Mike!
-É você tem razão - respondeu Mike.
-Desde quando vocês se conhecem? - perguntou Alice e Keith com uma certa raiva.
-Pode parecer estranho - disse Nora,sorrindo para Mike - mas algum tempo atrás,eu e o Mike,já fomos namorados e se você quer saber Alice,eu que dei esse gorrinho para ele!
Keith e Alice ficaram chocados com a notícia.
-Eu sempre soube que aquele gorro era um presente - disse Micky chocado - mas não sabia que tinha sido presente da Nora!
-Nora eu sei que de certa forma eu fui responsável por você e o Mike terem terminado - disse Alice,tentando controlar sua raiva - mas flertar com o Mike isso já é demais!Você tem o Keith!
-É você tem a mim! - gritou Keith.
-Mas eu não estou flertando com o Mike! - gritou Nora - eu só estou feliz por vê-lo,só isso!
-Na verdade é o Mike,que esta flertando com ela! - gritou Micky.
-Micky não contribua,por favor! - falou Felicity.
-E me diga Nora,como o Micky conhecia a Felicity? - perguntou Pete,bufando de raiva.
-Hã...bem...ele era amigo do Mike e ele gostava dela - falou Nora - mas ela o havia como um amigo e...
-E eu o dispensei,se você quer saber - disse Felicity à Pete.
-Mas isso não me impede te tentar de novo - disse Micky - Fefe,eu ainda te amo,me da mais uma chance?
-Ora seu! - Pete se levantou e pegou sua guitarra,que estava guardada numa mala e sacou ela e mandou na direção de Micky e este desviou por pouco.
-Quando ouvi dizer que você quebrava guitarras,não achei que isso seria verdade - falou Micky assustado.
-Você mereceu - disse Peter Tork - eu te avisei!
-E temos uma briga!Uma não,duas! - gritou Lily - e ai,vamos apostar?Amor,quer apostar?O Pete faz o Monkee engolir prato e a guitarra ou no Moon,que faz o Mike engolir a toquinha?E ai?
-Ta certo...opa...o que é isso? - disse Roger - não aposto nada,de onde você tirou essa de apostar?Não vê que o Keith e o Pete são as pessoas mais violentas que existe!
-Espera eu já vi isso antes - sussurrou Anastacia para John - foi no aniversário da Nora,o Jack Bruce fez a mesma coisa,do mesmo jeito!
-Eu estou me lembrando! - respondeu John intrigado - ele apostou que eu ia matar o Brian Jones!
-Sim sim - respondeu Anastacia - e que o Eric ia matar o Lennon e o Pete,de novo, ia matar o Keith Richards e o Moon e o Ginger,o Ray Davies!
-Escuta Lily,de onde você conhece o Jack Bruce? - perguntou John à Lily.
-É uma longa história - respondeu ela distraída,observando Keith pegando Mike pelos colarinhos e o ameaçando de morte - nós já fomos noivos.
-Noivos? - perguntou Roger chocado.
-Sim,eu terminei com ele porque ele só falava da Rosie,aquela maldita - respondeu Lily brava.
-Disso eu sabia - sussurrou Anastacia para John - que ele falava o tempo todo da Rosie,Marianne me contou,mas na frente da noiva!Isso não se faz!
-Sim,menina do Entwistle - disse Lily escutando a conversa do dois - ele só falava dela,eu não suportava mais aquilo!Era sempre: "Ah Rosie eu te amo!Ah Ruiva eu vou te ter...",aquilo não dava mais!
-Noivos? - perguntava Roger ainda chocado - porque você não me falou isso!
-Porque eu não gosto de falar sobre isso! - respondeu Lily.
-Mas fazer com que a Belle beija-se o Roger na frente da Marie você também não gosta de falar - disse John - mas do Jack Bruce,nem consegue ouvir o nome!
E quando John termina a frase,o Cream entra o restaurante.
-Eu costumava vir aqui com a Lily...- disse Jack Bruce aos amigos,que acabavam de entrar.Todos pararam,um pouco chocados com a briga entre Keith e Mike,e Pete e Micky.
-Doctor Jekyll! - gritou Lily à Jack.
-Miss Jekyll! - respondeu Jack com um grito.
-Rosie!- gritou Lily - eu te mato sua ruiva metida!
-Cream?-perguntou Keith,ainda segurando Mike pelos colarinhos.
-Eric - falou Pete.
-Ginger! - gritou Ginger Baker com um sorriso,enquanto todos o olhavam - vamos pequena,grite seu nome também! - disse Ginger a sua namorada,Marianne.
-Oh Ginger,por favor! - respondeu Marianne - agora não,se não sobre pra você!
-Pete,de novo cara - disse Eric.Pete pegou os restos da guitarra e tacou em Micky.
-Eu me rendo! - gritou Micky.
E o dono do restaurante apareceu com os pratos de lasanha,um pouco chocado com tudo o que viu.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Filme: Submarine



Eu assisti esse filme no começo desse ano,porém,estou sempre esquecendo as coisas e só agora eu me lembrei de fazer a resenha,de um filme que se tornou um dos meus favoritos e que também possuiu uma trilha sonora perfeita!
Sinopse:
Submarine, filme de estréia do inglês Richard Ayoade, é isso: O primeiro amor de um adolescente peculiar, com tendências obsessivas e manipuladoras, para quem tudo é uma questão de vida ou de morte, que passa demasiado tempo refletindo sobre si mesmo, sonhando, por exemplo, com um fantástico funeral em que todos chorariam desconsolados por sua morte. Daí fica pior: Ele deve conviver com seus hormônios, com os conflitos de sua recém iniciada relação com a garota ideal e “salvar” o casamento de seus pais, cuja ruptura parece iminente depois dos encontros da mãe com um estranho vizinho que lhe serve de guru místico espiritual.
Este filme é delicado e sútil,muito delicado mesmo,mas delicado ao ponto de quebrar,delicado no sentido de um amor mais bonito que eu já vi ( e nota,eu adoraria viver um romance igual ao do Oliver e da Jordana).E esse filme te deixa com vontade de pensar naquelas estranhas perguntas sobre a vida,a morte,o por que de nós existirmos e a nossa finalidade nesse vasto mundo,o amor em si, entre outras coisas que Oliver nos faz pensar.

Um casal muito perfeito *-*

E uma das coisas que também me fez amar ainda mais este filme,foram as cenas em que eles estão de frente para o mar.



Ah,a trilha sonora do filme foi toda composta e cantada pelo Alex Turner do Arctic Monkeys ♥.


Espero que tenham gostado da resenha!Até mais.

   
                                      



segunda-feira, 1 de julho de 2013

Pictures Of Lily - Capítulo 10



Lily tomava chá e folheava uma revista,no restaurante do hotel onde ela e ironicamente,Roger estavam hospedados."Talvez seja o destino querendo me ajudar" pensou ela,enquanto anotava em cima de uma foto quais as modificações que o editor que havia contratado ela para fotografar modelos arrumasse.Olhou para o seu relógio,eram quase 11h30 da manhã,e Roger não aparecia.Pouco depois ele,apareceu usando uma jaqueta Jeans e calças do mesmo tipo e em seus olhos,estava usando um óculos escuros.
-Bom dia,meu bem - disse Lily,enquanto Roger se sentava.
-Você sabe que eu não seu - respondeu Roger num tom seco.
-Mas poderá ser - respondeu Lily.Um garçom surgiu e perguntou o que este desejaria,Roger respondeu que  queria o mesmo que Lily tomava,o garçom olhou para a xícara e resmungou: "Britânicos".
-O que você quer? - perguntou Roger.
-Quero ser sua - respondeu  Lily,segurando a mão direita de Roger e a colocou em sua bochecha,estas estavam frias,mas ela sabia que ela poderia as esquentar.Por um momento,Roger teve um certo receio,mas seu coração estava clamando por um pouco de carinho. - quer dar uma volta comigo?
-Tudo bem - suspirou Roger.
-Este será o melhor encontro da sua vida - respondeu ela,mas ele se lembrou de quando conheceu Marie e se lembrou que aquele não seria seu o melhor encontro de todos,mas uma escapada de todas as dores que estava sentindo naquele instante.
Ele afagou o rosto dela,respirou fundo,estava cansado de tudo aquilo e desejava que tudo aquilo acabasse.
-Me surpreenda - falou ele.
-Você não se arrependerá.
***
Alguns dias se passaram,Roger e Lily engataram um pequeno romance,mesmo este ainda um pouco inseguro em amar de novo,pois seu coração ainda batia por Marie.E ainda,Roger e o todos do Who fizeram uma pequena participação no pequeno filme que Nora estava gravando.O último local que este seria filmado seria num estúdio,onde o Who e Monkees iriam ser fotografados para uma revista adolescente e o ensaio fotográfico estava sendo coordenado por Felicity e Lily.
Quando Nora estava filmando as últimas cenas,nas quais o Who entrava dentro do estúdio localizado num prédio velho do centro de Nova York,Alice que arrumava junto com Lily o estúdio,acabou trombando em Nora,fazendo com que estas quase caíssem de cara no chão e se não fosse John que segurou Alice,Keith segurando Nora e Pete num ato desesperado salvando a câmera de Nora.
-Olha eu achei que ia quebrar o dente - disse Nora à Alice,enquanto não parava de rir.
-Desculpa - falou Alice em meio aos risos,as duas estavam sentadas no chão do estúdio ainda rindo da situação.Alice e as meninas,naquele curto espaço tempo,se tornaram grande amigas,até mesmo com Lily,que sempre teve um certo temperamento difícil para lidar com as pessoas,acabou gostando da menina.
-E ai,quando a sessão vai começar? - perguntou Roger a Lily.
-Quando os outros chegarem - respondeu esta dando um pequeno beijo nos lábios de Roger.
-Que rapazes? - perguntou Anastacia.
-Fiquem calmos,eles já estão chegando - respondeu Lily - é que é uma surpresa pra uma certa pessoa.
Pouco depois,ouviram algumas vozes masculinas vindas do corredor e Alice reconhecia aquelas voz.
-Não acredito que serão eles! - gritou ela.
-Eles,quem? - perguntou Nora - espera,eu conheço essa voz!Não pode ser...
Surgiram da pequena porta,quatro rapazes,três mais ou menos da altura de John e um pouco mais baixo que Roger,e ao seu lado uma jovem um pouco mais alta que ele,caminhavam em direção para perto do Who,Alice saiu correndo do lugar onde estava sentada com Nora e pulou no nos braços do mais alto do grupo e lhe deu um beijo apaixonado.
-Olá Nez - disse ela,a seu namorado,Mike Nesmith - não sabia que você e os rapazes iriam ser fotografados com eles!Minhas duas bandas favoritas!Só falta os Yardbirds!
Ele deu uma piscadela a ela e Alice apresentou cada um dos integrantes da banda de seu namorado,os Monkees, ao Who.
-Este são Pete,Micky,Davy,sua namorada,Nami e o amor da minha vida,Mike! - disse ela,depois procurou por Nora e Felicity,e voltou-se para Mike - queria que você conhecesse duas amigas minhas,mas parecem que elas sumiram,ah elas estão vindo ali!
Nora e Felicity vinham vindo do corredor do banheiro,estavam conversando distraidamente,foi quando Nora parou assustada,quando Alice chamou seu nome.
-Mike? - perguntou Nora um pouco chocada - Mike Nesmith,é você mesmo?
-Nora! - disse ele estalando os olhos - Felicity!A quanto tempo!
-Olá Mike - respondeu Felicity e depois olhou para Micky - como vai Micky?
-Ah eu vou muito bem,Fefe - respondeu Micky de forma atrevida.
Nora se apressou e deu um grande abraço em Mike e enquanto Pete,Keith e Alice estavam chocados com tudo aquilo.
-Ã...vocês se conhecem? - perguntou Nami.
-Ah é uma longa história - respondeu Mike ainda sorrindo olhando para Nora - e acho que não poderemos conta-la agora!
-É verdade - respondeu Lily rindo de tudo aquilo - é hora de vocês serem fotografados!
Lily e Felicity mandaram este trocarem de roupa e serem maquiados,depois foram fotografados pelas duas.Ao final da sessão,Keith notou que Mike olhava intensamente para Nora,o que deixou com um pouco de enciumado,e este foi falar com Mike:
-Olha,eu não sei como você conheceu a minha boneca - disse Keith agarrando a camisa de Mike e colocando junto à parede - mas o que quer que você tenha feito com ela,que a magoou,eu faço essa sua toca parar no meio das suas costelas
***
Depois daquela festa,Marie havia se tornado amiga de Truman Capote,que adora a história que estava escrevendo,o que deixou Marie muito orgulhosa de seu trabalho e Jim mais apaixonado ainda.Os dois agora praticamente não se desgrudavam,até que numa manhã em que tomavam café num apartamento de Jim,eis que este lhe fez uma pergunta:
-Gostaria de ser minha namorada? 
Marie se sentiu um pouco insegura,ainda amava Roger,mas estava com muita raiva deste,então fez sua escolha.
-Eu aceito,meu amor.
Ela se levantou de sua cadeira,se sentou no colo de Jim e lhe deu um beijo apaixonado nos lábios dele,a vida voltará a sorrir para ela.