sábado, 19 de outubro de 2013

Ao Poetinha.

Querido Vinícius,

(posso te chamar de querido?Acho que posso sim!Afinal temos uma certa relação longa e confusa...) 

Você sabe que eu não sou boa com homenagens,você sabe muito bem,mas vou tentar.Por onde eu devo começar?Acho que já sei.Eu tinha uns 4 anos quando eu te conheci meio indiretamente,pois minha avó cantava "A casa" praticamente todos os dias e durante boa parte da minha infância eu tentei encontrar a Rua dos Bobos número 0,até eu descobrir que era um poema -um pequeno trauma de infância,mas whatever. Depois veio minha primeira peça de teatro,A Aquarela,é claro,eu ainda não te conhecia,mas guardei aquela lembrança pro resto dessa minha vida.
Tempos se passaram e com 13 anos,lá estava eu perdida na biblioteca da escola no fundamental II,procurando um livro pra ler,um livro diferente de todos.Fui na sessão da letra V e lá estava,aquele pequeno livro de capa azul com um desenho de um casal de mãos dadas,no qual estava escrito "Antologia Poética".Folhei o livro,achei interessante,tomei-o emprestado e levei pra casa e mostrei a minha mãe,ela disse que já havia lido e que era um dos melhores livro de poesia de todos os tempos.Leia esse daqui,disse ela me mostrando o Soneto do Amor Total,é melhor de todos.
Foi tiro e queda,me apaixonei,não só pelo livro,mas você também,querido.Afinal eu tinha encontrado o meu escritor favorito.
E durante 3 anos eu tornei a tomar emprestado esse mesmo livro,mesmo tendo mudado de escola,até que eu consegui um exemplar dele,que acabou se tornando o meu livro favorito.
E essa relação confusa cheia de encontro e desencontros pendura até hoje.Não nunca te abandonei,mesmo lendo milhares de livros todos os anos,mas sempre que posso,abro a Antologia e releio alguns poemas,para matar a saudade.
E mesmo todos da minha classe jurando que a professora de Português irá de te roubar mim e que o Chico Buarque tomará o seu lugar,eles estão muito enganados (mesmo eu amando o Chico),meu coração e minha inspiração serão sempre por sua causa.
Afinal teremos mais 100 anos juntos,meu bem.
Com amor,

Mariana.





2 comentários:

  1. Que lindo, Mari <3 Essa conexão entre você e o Vinícius é mais que imaginária: ela é real e espiritual, basta olhar para as suas palavras de afeto e identificação. É uma das cartas mais lindas que eu já li *-*

    ResponderExcluir
  2. Juro que fiquei com vontade de ler a Antologia agora.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar.