sexta-feira, 29 de novembro de 2013

All Thing Must Pass.

George sorria,mas dentro de si sentia-se vazio.Estava rodeado de todos os seus familiares,mas sentia-se sozinho.Era domingo a noite,todos estavam reunidos na casa de sua mãe em Londres para o aniversário de seu pai e também seu último domingo de folga antes do período de festas de fim de ano,antes que ele entrasse em turnê.

Sentado ao lado de seu pai,fumando e discutindo sobre quem vencerá o GP de Formula 1 naquele dia e sobre sua vida como um Beatle.Seu pai sempre soubera que o filho queria largar aquela vida,porém este também sabia que o filho não seria capaz de abandonar aquilo que se comprometera fazer.

-Acho que você precisa de férias – disse o pai.

-Mas não posso tira-lás! – resmungou George um pouco estressado.

-George! – gritou sua mãe da cozinha. – Seu pai não tem culpa dos seus problemas!

-Eu sei mas… – respondeu George tentando controlar o açoite de sua língua,que parecia mais a de John do que a dele e sua raiva – não consigo ter mais um momento de paz!

-Acalme-se meu filho!Tudo passa!Inclusive todos os períodos de turbulência – George pensou que naquela hora,o velho estivesse certo,se ele esperasse mais um pouco,tudo aquilo poderia acabar,o ano,turnês,talvez os próprios Beatles também, e aquilo alcamou-o por um instante.

-Menos a sua fome George!Essa nunca passa! – gritou seu irmão,Harry,com a boca cheia de bolo que se aproximou de George e lhe deu um pequeno murro na sua cabeça.

-Ai! – respondeu George,enquanto todos riam daquilo.

***

-Ai que dor de cabeça! – disse George acabando de acordar, e afagando a parte de sua cabeça onde no sonho,seu irmão havia lhe dado o pequeno soco.

Ele se levantou,ainda afagando seus cabelos,calçou seus chinelos e foi em direção a cozinha,onde encontrou sua mulher,Pattie cozinhando o café da manhã.

-O que foi meu amor? – perguntou Pattie.

-Estou com uma forte dor de cabeça! – respondeu ele dando um beijo nela – Sonhei que estava numa festa de aniversário do meu pai e meu irmão começou com aquelas palhaçadas dele de me dar socos na minha cabeça!E eu e meu pai estavamos discutindo Formula 1 e também sobre o meu futuro dos Beatles e tudo mais.

- E o que mais meu bem? – perguntou Pattie.

-E meu pai me disse uma coisa até que interressante! – disse ele pegando uma xícara de café.

-O que ele disse? – perguntou Pattie também pegando uma xícara de café.

-Que nada vida tudo passa.

-Acho que me lembro agora,foi numa festa de aniversário do seu pai,que seu irmão falou que na vida tudo passa,menos a sua fome,não foi?

-Então era tudo verdade?Não foi só um sonho…

-Querido a gente tava meio chapado no dia!Foi por isso!

George e Pattie riram e sorriram.Poucas horas depois,sentado na varanda de sua casa,com seu violão e um pequeno caderno de anotações,George escreveu uma das mais belas canções de todos os tempos,All Things Must Pass,inspirada nessas pequenas lembranças cotidianas.

~como eu amo esse sorriso seu George <3 ~  

sábado, 23 de novembro de 2013

Save The Day













Hoje é o aniversário de 50 anos da primeira transmissão da melhor série de todos os tempos,pelo menos na minha humilde opinião,Doctor Who!E como eu não pude ir no cinema assistir The Day of the Doctor por conta da fuvest ~chorando eternamente por conta disso ~ resolvi fazer minha pequena homenagem aqui!




party party party yeah!


(tinha tanta gif pra por mas o post ia ficar enorme!)















terça-feira, 19 de novembro de 2013

Doce Novembro

Ou Outro Dia Comum em São Paulo.

Hoje é mais um dia de novembro.
É um daqueles dias que não se sabe se vai chover ou não,mas o céu continua cinza.Todos acabam ficando nesse impasse do chove ou não chove,se levam guarda-chuva ou não,se saem ou não do calor de suas casas para o trovões da rua.É mais um dia tipico de São Paulo.
Atende o telefone para se distrair,liga a televisão para se fechar do mundo,põem o fone de ouvido pra evitar ouvir a inevitável fofoca do ônibus lotado.Mas na realidade você nem sabe onde esta e de como você chegou a este lugar.
Minha professora de português falou de realidade na escola,nos disse que a vida real começa em janeiro.Mas a vida real não existe desde que nascemos?E todos esses anos que eu vivi até agora foram uma grande farsa,ou o que?Isso ninguém sabe te responder.
Como prosseguir a tudo isso?Dê adeus à tudo o que você conhecia e faça como eu,recomece tudo do zero.Eu simplesmente abracei o tempo e esqueci do resto.E agora flutuou no nada.



sábado, 16 de novembro de 2013

Livro: Percy Jackson e a Batalha do Labirinto



Já resenhei o eletrizante O Ladrão de Raios, o cheio de aventuras O Mar de Monstros e o triste,porém meu favorito da saga eternamente A Maldição do Titã, e hoje trago a resenha do quarto livro da saga do Olimpianos, A Batalha do Labirinto.
Se existe uma palavra para definir este livro,seria cansaço.Não me refiro à aquele tipo de cansaço, de que esse livro foi difícil de ler, se estivesse dizendo isso seria uma baita de uma mentira,mas sim do próprio cansaço físico,pois a cada página,a cada corrida, a cada aventura desse livro,você acaba ficando com o mesmo cansaço que o Percy!


O capítulo mais legal e interessante de todo o livro!



Descerás na escuridão do labirinto infinito,
O morto, o traidor e o perdido reerguidos.
Ascenderás ou cairás pelas mãos do rei espectral,
Da criança de Atena, a defesa final.
A destruição virá quando o último suspiro do herói acontecer,
E perderás um amor pra algo pior que morrer.
O Monte Olimpo está em perigo. Cronos, o perverso titã que foi destronado e feito em pedaços pelos doze deuses olimpianos, prepara um retorno triunfal. O primeiro passo de suas tropas será atacar e destruir o campo de treinamento dos heróis, filhos de deuses com mortais, que desde a Grécia Antiga combatem na linha de frente em defesa dos olimpianos. Para assegurar que esse refúgio de semideuses - o Acampamento Meio-Sangue - não seja invadido, Percy Jackson e um jovem ciclope, ambos filhos de Poseidon, Annabeth Chase, filha de Atena, e Grover, um sátiro, são destacados para uma importante missão - deter as forças de Cronos antes que se aproximem do acampamento. Para isso, será preciso sobreviver ao emaranhado de corredores do temido Labirinto de Dédalo - um interminável universo subterrâneo que, a cada curva, revela as mais aterrorizantes surpresas. 

Uma das cenas mais fofas desse livro é quando Percy e Annabeth se separam no Monte Santa Helena e antes de partir, Annabeth o beija e deixando Percy por alguns instantes, um pouco atordoado.E também temos Rachel Elisabeth Dare,uma garota mortal que apareceu em meio relapso na Maldição do Titã e que a partir deste livro,começa a ter um papel importante na história. 


De todos os cinco livros a frase que mais me chamou a atenção foi essa do Dionísio,que de um gesto simples pode,para alguns,serem grandes gestos.


Espero que tenham gostado!Até mais 





sexta-feira, 8 de novembro de 2013

No Gramofone: De volta à alegria

Nesses últimos tempos me peguei um pouco triste com a vida e com tudo.Na verdade,eu sempre me pego desse jeito e para voltar a ser uma menina feliz e de bem com a vida,eu escuto algumas músicas,pois a música é um remédio para a alma. e assim preparei uma pequena playslist com 9 músicas,algumas delas podem ter uma batida um pouco triste,outras podem ser mais animadas do que tudo!

Espero que gostem da playlist!






Tchau.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Eterno Cotidiano.

Tão perto,ao mesmo tempo tão distante.
Tão junto ao mesmo tempo tão separados.
Todos os dias no mesmo lugar.
Eterno cotidiano.
Eterno esquecimento.
Eterno quase amor.
Eterno nada.


Como criar um mundo novo,se nem esse conseguimos lidar?