sábado, 16 de novembro de 2013

Livro: Percy Jackson e a Batalha do Labirinto



Já resenhei o eletrizante O Ladrão de Raios, o cheio de aventuras O Mar de Monstros e o triste,porém meu favorito da saga eternamente A Maldição do Titã, e hoje trago a resenha do quarto livro da saga do Olimpianos, A Batalha do Labirinto.
Se existe uma palavra para definir este livro,seria cansaço.Não me refiro à aquele tipo de cansaço, de que esse livro foi difícil de ler, se estivesse dizendo isso seria uma baita de uma mentira,mas sim do próprio cansaço físico,pois a cada página,a cada corrida, a cada aventura desse livro,você acaba ficando com o mesmo cansaço que o Percy!


O capítulo mais legal e interessante de todo o livro!



Descerás na escuridão do labirinto infinito,
O morto, o traidor e o perdido reerguidos.
Ascenderás ou cairás pelas mãos do rei espectral,
Da criança de Atena, a defesa final.
A destruição virá quando o último suspiro do herói acontecer,
E perderás um amor pra algo pior que morrer.
O Monte Olimpo está em perigo. Cronos, o perverso titã que foi destronado e feito em pedaços pelos doze deuses olimpianos, prepara um retorno triunfal. O primeiro passo de suas tropas será atacar e destruir o campo de treinamento dos heróis, filhos de deuses com mortais, que desde a Grécia Antiga combatem na linha de frente em defesa dos olimpianos. Para assegurar que esse refúgio de semideuses - o Acampamento Meio-Sangue - não seja invadido, Percy Jackson e um jovem ciclope, ambos filhos de Poseidon, Annabeth Chase, filha de Atena, e Grover, um sátiro, são destacados para uma importante missão - deter as forças de Cronos antes que se aproximem do acampamento. Para isso, será preciso sobreviver ao emaranhado de corredores do temido Labirinto de Dédalo - um interminável universo subterrâneo que, a cada curva, revela as mais aterrorizantes surpresas. 

Uma das cenas mais fofas desse livro é quando Percy e Annabeth se separam no Monte Santa Helena e antes de partir, Annabeth o beija e deixando Percy por alguns instantes, um pouco atordoado.E também temos Rachel Elisabeth Dare,uma garota mortal que apareceu em meio relapso na Maldição do Titã e que a partir deste livro,começa a ter um papel importante na história. 


De todos os cinco livros a frase que mais me chamou a atenção foi essa do Dionísio,que de um gesto simples pode,para alguns,serem grandes gestos.


Espero que tenham gostado!Até mais 





Um comentário:

  1. Hey Maris! Você sabe como eu adoro PJO! Só não sei escolher o meu favorito da saga, é a mesma coisa que perguntar meu álbum favorito do The Who ou dos Beatles!
    Ótima resenha! Beijinhos,

    (A outra) Maris

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar.