domingo, 15 de junho de 2014

Habemus um pouco de espaço nessa vida.

Hoje,meu pai e meu irmão foram comprar figurinhas pro álbum da Copa do irmão,na banda de jornais que tem no Wall Mart no centro de Osasco,e meu irmão acabou me chamando para ir junto com eles.Enquanto eles compravam as figurinhas e meu irmão escolhia uma HQ pra ele,meu pai me disse que eu poderia escolher alguma coisa da banca e primeiro fui atrás da nova Rolling Stone,que tinha acabado de sair com o Peter Dinklage na capa mas ainda não havia chegado na banca e acabei levando o Estadão para casa por conta de um especial sobre o aniversário de 70 anos do Chico Buarque!E de junto com o jornal veio uma Veja e uma Veja São Paulo,porque meu pai achou que duas revistas e um jornal era uma baita de uma oferta e também já que eu faço jornalismo eu tinha que ler a revista.

Porém quando cheguei em casa e fui guardar as revista e o jornal no Guarda-Roupa para ler amanhã,pois eu tenho que terminar A Fúria dos Reis do Sor. George R.R.Martin que eu estou bem no finalzinho,só faltam 70 páginas pouca coisa,e eu vi que não tinha mais espaço para guardar o jornal e as revistas no guarda-roupa-livros.

Eu não tenho um quarto propriamente meu,e meu desejo desde sempre foi ter o meu canto para as minhas coisas.Eu durmo no mesmo quarto que a minha mãe e meu irmão,e lá não tem muito espaço para os meus livros,já que os guarda-roupas (só pra roupa mesmo) não tem espaço para guardar todos os livros e revistas e,acabo guardando tudo no outro quarto.O “O Outro Quarto” era o quarto do meu tio Saulo antes dele se casar e quando ele se casou ele me disse que o quarto era meu,e que eu poderia fazer qualquer coisa com ele,mas só levei os livros,os dvds e umas blusas que não cabiam no guarda-roupa e depois que eu tirei todas as coisas dele,guardei as minhas coisas lá e por conta disso acabo passando a maior parte do tempo mais nesse quarto do que o outro.

Quando eu vi toda aquela quantidade de espaço sendo usada para guardar cadernos do colegial,do fundamental II e a Caprichos,que até hoje eu não entendia porque eu tinha guardado e eu nunca vou entender,me fez sentir como se estivesse presa a um tempo que já se foi e eu ainda estou sendo obrigada a vive-lo.Essa sensação fez meu peito do doer,enquanto eu me perguntava,”Será que eu vou usar todos esses cadernos e folhas que eu guardei?”,porque eu fui obrigada a guardar todos esses cadernos e folhas para casa um dia eu precisasse e eu nunca precisei,e também se eu ficasse nesse mimimi todo de “Um dia desses eu vou precisar” eu nunca ia ter espaço para novas coisas e teria sempre que guardar aqueles papéis todos.

Tirei todos os cadernos,fichários,folhas,Caprichos e entre outras coisas velhas do guarda-roupas joguei tudo no chão e vi o que poderia guardar o não,mas acabei jogando um monte de coisas fora e amanhã de manhã pretendo jogar muito mais coisas.Brotou espaço no guarda-roupa onde eu não sabia que existia,brotou espaço também até na minha vida!Estou até me sentindo bem mais leve do que antes.

E toda essa limpeza me motivou a um dia tentar ser mais organizada e minimalista.Um dia,num futuro não tão distante,assim eu espero.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

A saudade

Me sugiriram uma vez que eu escreve sobre a saudade.”Mas saudade de que?” eu perguntei tentando entender o que minha amiga queria dizer aquilo.Isso foi ano passado.2013.Eu realmente tentei escrever sobre a saudade naquele dia em que ela me sugeriu o tema,porém não consegui.Tentei repetir o feito esses dias mas quem disse que consegui?Saudade uma coisa tão abstrata para mim,que eu não conseguia descrever.Até domingo à noite.
Eu tinha dito para mim mesma que iria fazer uma limpeza geral em tudo,em tudo mesmo.Desde as minhas roupas e papéis,até chegar no meu blog.As roupas,os livros e os papéis eu consegui dar uma boa arrumada,e ai domingo,já que eu estava de bobeira,eu resolvi que iria dar uma arrumada no blog.
Primeiro fui dar uma olhada para ver quais postagens eu poderia escolher,apaguei umas meio-total-desnecessárias de 2012 que eu tinha escrito só pro blog não morrer e fui dar uma olhada para ver qual mais eu iria excluir.Até que eu achei as de 2011.
As postagens de 2011 eram piores que as de 2012.Eram mais toscas,mais sem sentido e de difícil entendimento.Era uma tentativa muito frustrada de escrever um blog.Quando comecei a ler elas,comecei a rir demais e,acabei me sentindo mais nova,voltando a ter 15 anos de novo,tentando tocar um blog.Exclui algumas das postagens,porque esse blog tinha que ficar um pouco limpo e com menos coisas estranhas,me dando assim mais liberdade pra reescrever coisas que eu tinha escrito antes mas de uma forma melhor.
Foi bom por um momento ter me lembrado tudo isso, e uma coisa que me ajudou a lembrar de tudo isso foi ter encontrado o Keane,meio perdido nas playslist do Spotify,me fazendo ficar mais nostálgica do que eu já sou.


quarta-feira, 4 de junho de 2014

I'm feeling 18!


Hoje é o décimo oitavo dia do meu nome (Game Of Thrones feelings)!Ainda não tô acreditando que eu estou fazendo 18 anos!Sim é uma coisa tão chocante que eu ainda não sei o que escrever sobre isso,porque estou sem inspiração nenhuma pra fazer uma análise da minha vida até agora,mas nem sei por onde começar,pela nostalgia que eu estou tendo nesses últimos meses,que é um grande porre ou pela indecisão que a idade nos traz.
Pensando nisso tudo e em meio a uma semana de provas muito chata,que aliás vai ter prova justo hoje no meu aniversário,eu resolvi uma playlist com milhares de música sobre aniversário,festas e sobre ainda estar jovem e essas coisas do tipo.



1- Lana Del Rey - Happy Birthday Mr. President.
2-Taylor Swift - 22.
3-Arctic Monkeys - Fluorescent Adolescent.
4-Mallu Magalhães - Velha e Louca.
5-Katy Perry - Birthday 
6-Ira! - Envelheço na Cidade.
7-Ringo Starr - You're Sixteen.
8-The Killers - When You Were Young.
9-Elton John - Goodbye Yellow Brick Road.

bora dançar feras!
Enfim,um dia desses eu escrevo um post falando de como é estar ficando mais velha,mesmo só tendo 18 anos,ainda.