segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Serena, Ian McEwan



Existe uma sensação inexplicável  de quando nós nos encontramos em algo, seja em uma música,num livro ou num filme.Parece que cada coisa que eles possuem foram feitas para nós,como se o autor do livro/da música/filme/etc tivesse passado uma temporada na minha casa e ter observado nossa vida e transformados elas em uma grande obra prima.

Porém, eu demorei um pouco para me “encontrar” em Serena do Ian McEwan.

Esse livro entrou na minha vida de um modo bem aleatório. Ano passado,eu estava arrumando a minha estante do Skoob, quando vi que ele na sessão de lançamento do site e logo de cara,me apaixonei pela capa vintage linda (sim, sou dessas que compra livro pela capa,mas antes que vocês me julguem, eu sempre dou uma lida no texto de orelha para saber mais sobre a obra),que me lembrou até a Pattie Boyd e a Marianne Faithfull (oi?),dei uma lida na sinopse e comecei a desejar ler esse livro,mesmo tendo outros 8398398493 para ler.E quando, eu não consegui o ingresso daquela exposição de Game Of Thrones que teve aqui em São Paul, ele me resolveu me deixar livre numa feira de livros que estava tendo no Super Shopping de Osasco e falou que eu poderia pegar o que quisesse,encontrei Serena e 2 cds do Tom Jobim e levei-os para casa.

Um ano se passou e depois que eu terminei de ler A Culpa é das Estrela,resolvi que tinha que ler esse livro,se não eu iria procrastinar por um bom tempo e não iria lê-lo,passei ele na frente de A Menina que Roubava Livros e li ele agora nas férias.

Serena é um romance sobre espiões.Não apenas porque a protagonista é uma jovem matemática que se vê recrutada pelo Serviço de Segurança britânico- o MI5 - em 1972,onde,além de ter que lidar com os agentes infiltrados do IRA e com um futuro que parece cada vez mais sombrio,quando é recrutada para uma para a Operação Tentação -onde o MI5  pretende que através de livros sobre anticomunismo,para assim fazer com que as pessoas acreditem o quão o capitalismo é bom para vida delas.E ela acaba misturando sua vida pessoal ,quando se envolve com T.H.Haley, o escritor que esta no centro da Operação Tentação.Ela é, portanto,agente e vítima,personagem e criadora, neste romance em todos esses papéis são questionados com fervor.

 
Enquanto lia,não pude deixar de me lembrar do filme mais recente da franquia de 007,Operação Skyfall,que é um dos meus filmes favoritos,em que a personagem M,a líder do MI5,diz que "Hoje travamos uma guerra através das ideias e que nossos inimigos agora não são mais públicos,são agora ocultos",e achei que isso se tratava do livro.Mesmo que a Guerra Fria,era evidente que Capitalismo x Comunismo,no livro eu,acabei percebendo que havia muito mais coisas que moviam essa guerra,algo mais oculto,que não se pode controlar,que são as ideias,elas controlam a guerra e principalmente aqueles que estão envolvidos na Operação Tentação.

E o que me fez me identificar com ela,é que ela é uma leitora voraz como todas nós.Ela lê de 2 a 3 livros por semana,ela vê que esta sem dinheiro para comprar livros caros e então frequenta sebo,e indica bons livros da literatura inglesa.Outra coisa que me fez me identificar com a Serena,foi o caso com a mãe dela obrigou ela a cursar matemática em vez de letras, que era realmente o sonho dela,pois segundo a sua mãe,ela seria uma mulher "fraca e rebaixada" e Serena até hoje se arrepende por não ter cursado Letras.Pareceu um pouco a situação que eu passei na época em que eu estava no vestibular e que todo mundo queria escolher a minha área que eu tive de brigar para o pessoal entender que eu era de Humanas e que iria fazer jornalismo.

Terminei de ler esse livro a algumas horas e fiquei louca desejando uma continuação, uma parte dois,uma fanfic do Ian McEwan,só para eu saber o que aconteceu com Tom Haley e com a Serena,saber quais livros ela esta lendo e saber como continua a sua vida e tudo mais,ou talvez,uma nova missão.Mas pelo visto,acho que nunca mais vai ter nenhuma.
  

2 comentários:

  1. estou com um livro do Ian ("reparação") pra ler faz um tempo também. o que, aliá, é um dos meu hábitos: procrastinar leituras. ah, sim, nunca tinha reparado na página principal do Skoob [quem não sabe não encontre algo bom também?]. agora, sobre a personagem até eu me identifiquei um pouco com ela [pelo que descreveu].

    ResponderExcluir
  2. Não tinha ouvida falar ainda sobre esse livro, parece ser bem legal porém nas últimas semanas estou como numa praia deserta sozinha e a cada onda que me derruba eu tento levantar - aí chega outra e me varre de novo pra areia. Vamos ver até quanto tempo ficarei nesse looping e logo que me libertar colocarei as leituras em dia.

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar.